Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Única mulher taxista de Rabat desafia estereótipos no Marrocos

Estação de Táxi em Inezgane, Marrocos, em 1 de março de 2020 [AmalouMed/Wikimedia]

Souad Hdidou está desafiando as normas sociais e quebrando estereótipos por trás do volante, atuando como a única mulher taxista na capital marroquina Rabat e uma das poucas no país inteiro.

Hdidou, 33 anos, começou a trabalhar como motorista de caminhão após sair da escola, trabalhou para uma empresa de distribuição de pescado, mas mudou para os táxis para obter melhores salários e maior liberdade, disse ela.

“Sou do tipo que gosta de desafios”, disse Hdidou.

Após conquistar uma base sólida de clientes, ela agora ganha o suficiente para pagar a hipoteca de seu apartamento perto de Rabat, bem como para sustentar sua família no campo.

“As mães muitas vezes confiam em mim para ir buscar seus filhos na escola quando elas estão ocupadas”, disse ela. “Também recebo chamadas para buscar as mulheres à noite porque elas se sentem mais à vontade comigo”.

LEIA: Desemprego no Marrocos chega a 12,5% no primeiro trimestre de 2021

Ao volante de seu sedan azul, com seu interior limpo e perfumado, e um talismã em forma de coração com versos religiosos pendurados no espelho retrovisor, Hdidou é uma visão rara nas estradas de Rabat.

“Precisamos de mais mulheres taxistas”, disse Nouhila Asah, uma cliente feminina, acrescentando que com Hdidou ela pode ter uma conversa e falar livremente pelo telefone, ao contrário de quando o motorista é um homem.

Havia sete mulheres licenciadas como motoristas de táxi na capital, mas todas elas pararam de trabalhar, exceto Hdidou. As mulheres motoristas de táxi às vezes enfrentam assédio sexual sob a forma de avanços indesejados, disse ela.

Mesmo para os homens, o negócio de táxi é duro no Marrocos – a maioria dos motoristas não têm acesso à seguro saúde e pensão do estado, e querem que o governo reforme o setor.

A licença de operação de táxi é tão cara que muitos a “alugam” de pessoas abastadas que têm as conexões certas. Hdidou disse que o custo de alugar a licença, bem como as despesas de operação de automóveis, representam até setenta por cento de sua receita mensal.

O chefe do sindicato dos taxistas, Mohamed Touiti, disse esperar que o governo conceda aos motoristas acesso à previdência social estatal.

Para Hdidou, ela deu um passo em direção à realização de seu sonho de infância: “Meu desejo é trabalhar no transporte internacional… Estou agora no processo de obtenção de diferentes tipos de carteira de motorista. Esta é a vida da Souad”, disse ela, rindo.

As opiniões expressas neste artigo são de responsabilidade do autor e não refletem necessariamente a política editorial do Middle East Monitor.

Categorias
ÁfricaBlogBlogs - PoliticsMarrocos
Show Comments
Expulsão dos Palestinos, O conceito de 'transferência' no pensamento político sionista (1882-1948)
Show Comments