Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Hunter Biden supostamente pediu mais de US$ 2 milhões para ajudar a descongelar ativos da Líbia

Hunter Biden e Ashley Biden chegam para a posse do presidente eleito, Joe Biden, em Washington, em 20 de janeiro de 2021 [Jonathan Ernst-Pool/Getty Images]

Hunter Biden, filho do presidente dos Estados Unidos Joe Biden, buscou mais de US$ 2 milhões em taxas para ajudar a descongelar bilhões de dólares em ativos da Líbia, enquanto seu pai era o número dois no governo Obama, de acordo com uma reportagem publicada recentemente pela Agência Anadolu.

O jovem Biden buscou US$ 2 milhões anualmente em 2015, mais o que é descrito em correspondências de e-mail vazadas como “taxas de sucesso”, informou o Business Insider na quinta-feira. A revelação foi feita pelo e-mail do doador democrata Sam Jauhari ao colega doador de campanha de Obama e magnata saudita, o sheikh Mohammed Al-Rahbani.

“Ele quer contratar seu próprio pessoal – pode ser um círculo fechado de pessoas para fins de confidencialidade. Seu pai está decidindo se candidatar ou não”, escreveu Jauhari no suposto e-mail enquanto Joe Biden refletia sobre uma corrida presidencial de 2016, de que acabou desistindo. “Ele disse que tem acesso ao mais alto nível na RPC [China], ele pode ajudar lá.”

A China foi um grande obstáculo ao descongelamento dos ativos.

Os fundos líbios foram bloqueados sob o ex-presidente Barack Obama após a queda do ex-ditador Muammar Gaddafi liderada pela Otan em 2011 e o subsequente colapso do governo do país.

“Seus pontos positivos são que ele é presidente do Programa Mundial de Alimentos da ONU, filho de #2, que tem o arquivo da Líbia, acesso ao Estado, ao Tesouro, parceiro de negócios SofS [Secretário de Estado] J. [John] Forbes K [Kerry] filho e, desde então, viaja com o pai, ele está conectado a todos os lugares na Europa e na Ásia, onde MQ [Muammar Qaddafi] e LIA [Autoridade de Investimentos da Líbia] congelaram dinheiro”, escreveu Jauhari sobre Hunter Biden.

LEIA: Após a retirada da confiança, Dbeibeh convida os líbios a saírem e expressarem suas opiniões

“Seus pontos negativos são que ele é alcoólatra, viciado em drogas – expulso do Exército dos EUA por cocaína, persegue prostitutas de classe baixa, constantemente tem problemas financeiros e muito mais dores de cabeça”, acrescentou.

Jauhari não estava agindo de forma altruísta, de acordo com o Business Insider. Ele e seus parceiros de negócios buscaram até 5% dos fundos que conseguiram desbloquear, que, segundo o site de notícias, chegariam a centenas de milhões de dólares.

Outro e-mail parece indicar que as negociações com Biden continuaram ao longo de 2016 com um e-mail de 26 de fevereiro daquele ano indicando que Jauhari e al-Rahbani receberam um relatório de um advogado de Washington que entrou em contato com Biden sobre o acordo com a Líbia.

John Sandweg confirmou que estava em contato com a equipe de Biden sobre a perspectiva de trabalhar no descongelamento dos fundos da Líbia, e eles lhe disseram “que iriam considerar isso e eu devolvi a mensagem”.

“Jauhari acabou contratando um escritório de advocacia diferente”, disse ele ao Business Insider.

O veículo disse ainda que “não há evidências de que Hunter Biden alguma vez usou seu relacionamento com seu pai para entregar algo significativo para seus clientes”, mas disse que os e-mails são “um vislumbre de como o tráfico de influência funciona em Washington”.

Categorias
ÁfricaÁsia & AméricasEstados UnidosLíbiaNotícia
Show Comments
Expulsão dos Palestinos, O conceito de 'transferência' no pensamento político sionista (1882-1948)
Show Comments