Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Após a retirada da confiança, Dbeibeh convida os líbios a saírem e expressarem suas opiniões

O primeiro-ministro interino da Líbia, Abdulhamid Dbeibah, cumprimenta uma multidão na Praça dos Mártires de Trípoli, em 21 de setembro de 2021 [Mahmud Turkia/AFP via Getty Images]

Na terça-feira, o primeiro-ministro do Governo de Unidade Nacional da Líbia, Abdel Hamid Dbeibeh, pediu aos líbios que saiam às ruas e expressem suas opiniões.

Em seu primeiro discurso depois que a Câmara dos Representantes retirou a confiança em seu governo na terça-feira e, durante um discurso que fez diante de uma multidão do distrito de Zawiya – que compareceu à final da liga de cinco lá – Dbeibeh disse: “Eu sou um servo do povo de todas as seitas. O povo toma decisões e possui legitimidade e direito. Saia e expresse suas opiniões e seu direito a esta vida, sem medo. Não tema, mas Alá. E seu direito é mantido, se Deus quiser”.

A Câmara dos Deputados votou, na sessão de quinta-feira, pela retirada da confiança do Governo de Unidade Nacional, com uma maioria de 89 deputados dos 113 que compareceram à sessão, mas que foi rejeitado pelo Conselho Supremo de Estado, pelos autarcas de 59 municípios e muitas figuras políticas e blogueiros, visto que o quórum de votação entra em conflito com as disposições da Declaração Constitucional, do Acordo Político e do Roteiro.

O governo continuará como um órgão interino até que outra decisão seja emitida pela Câmara dos Representantes, ou se chegue à data das eleições presidenciais e parlamentares marcadas para 24 de dezembro, de acordo com um comunicado anterior feito terça-feira pelo assessor de mídia do presidente do Parlamento do Parlamento, Fathi Al-Marimi.

LEIA: Governo da Líbia rejeita voto de ‘não-confiança’

Preocupação internacional

Por sua vez, a Missão de Apoio das Nações Unidas na Líbia (UNSMIL), expressou sua preocupação com a retirada da confiança do Governo de Unidade Nacional, segundo nota divulgada pela missão.

“A missão confirma que o atual governo de unidade nacional continuará sendo o governo legítimo até que seja substituído por outro governo por meio de um processo pós-eleitoral regular”, disse o comunicado. O foco principal do governo continua sendo levar o país às eleições parlamentares e presidenciais em 24 de dezembro de 2021 e fornecer os serviços necessários à população.

A declaração continuou: “Como o Enviado Especial e Chefe da Missão de Apoio das Nações Unidas na Líbia, Jan Kubis, enfatizou – a missão esperava que os esforços da Câmara dos Representantes se concentrassem na finalização da lei das eleições parlamentares. E que o conselho a liderança trabalha para fortalecer seus esforços no sentido de construir um amplo consenso sobre a estrutura legislativa para as eleições, que está em andamento”.

A declaração acrescentou: “A missão exorta a Câmara dos Representantes a concluir o trabalho sobre a Lei Eleitoral Parlamentar na próxima semana, o mais tardar”. A missão lembra as partes a respeitar o quadro jurídico e constitucional que rege o processo político da Líbia.

A declaração indicou que “a Missão de Apoio das Nações Unidas na Líbia exorta a Câmara dos Representantes e todas as instituições e atores políticos relevantes a se concentrarem na conclusão da preparação do quadro constitucional e legislativo para as eleições de 24 de dezembro e a absterem-se de qualquer ação que poderia minar o processo eleitoral e a unidade, segurança e estabilidade do país”.

A realização de eleições presidenciais e parlamentares em 24 de dezembro de 2021 deve permanecer o objetivo primordial, e quaisquer esforços para desviar a atenção para outros objetivos são considerados contra a realização das eleições em 24 de dezembro de 2021.

Categorias
ÁfricaLíbiaNotícia
Show Comments
Show Comments