Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Líbia realizará conferência em outubro para obter apoio

O presidente da Líbia, Mohamed Younis Menfi, discursa na 76ª sessão da Assembléia Geral das Nações Unidas na sede da ONU em 23 de setembro de 2021, em Nova Iorque. [MARY ALTAFFER/POOL/AFP via Getty Images]

O chefe do conselho da presidência da Líbia disse ontem que realizará uma conferência internacional em outubro para obter apoio para a estabilidade do país, advertindo que ele enfrenta “sérios desafios” que podem minar as eleições planejadas para dezembro, relatou a Reuters.

Ao dirigir-se à reunião anual de líderes mundiais da ONU em Nova York, Mohammed Al-Menfi disse que a conferência teria como objetivo assegurar um apoio internacional “unificado e consistente” e restaurar um senso de liderança e propriedade da Líbia sobre o futuro do país.

“Estamos diante de sérios desafios e desenvolvimentos rápidos, que nos obrigam – por responsabilidade – a pensar em opções mais realistas e práticas para evitar um impasse no processo político que, por sua vez, poderia minar as eleições que se aproximam e nos levar de volta à estaca zero”, disse ele.

As eleições nacionais, planejadas para 24 de dezembro, foram empurradas como uma forma de acabar com a crise de uma década na Líbia, mas foram enredadas em amargas discussões sobre legitimidade que podem desvendar um processo de paz de meses.

“A Líbia está em um momento crítico”, disse Al-Menfi.

LEIA: Após a retirada da confiança, Dbeibeh convida os líbios a saírem e expressarem suas opiniões

O Ministro das Relações Exteriores francês, Jean-Yves Le Drian, disse aos repórteres em Nova York na segunda-feira que a França, a Alemanha e a Itália co-organizariam uma conferência internacional sobre a Líbia em 12 de novembro para garantir que o calendário eleitoral permanecesse em vigor.

Em 2014, as facções oriental e ocidental dividiram a Líbia em duas numa guerra civil, com um governo internacionalmente reconhecido em Trípoli e uma administração rival apoiada pela Câmara dos Deputados no leste.

A eleição de 24 de dezembro foi mandatada pelo Fórum de Diálogo Político Líbio, uma assembleia selecionada pela ONU que estabeleceu um roteiro para a paz na Líbia, um grande produtor de petróleo, através da instalação de um governo de unidade e da realização de uma votação nacional.

Até a realização das eleições, a assembleia selecionou um conselho de presidência de três homens liderado por Al-Menfi e instalou Abdulhamid Dbeibeh como primeiro-ministro do governo interino.

No início desta semana, o parlamento sediado no leste da Líbia disse que havia retirado a confiança do governo de unidade, embora continuasse a operar como uma administração de cuidado.

Dbeibeh rejeitou a decisão, alegando que ela era “ilegítima”.

Categorias
ÁfricaLíbiaNotíciaONUOrganizações Internacionais
Show Comments
Show Comments