Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Israel impõe restrições aos direitos dos detidos da Palestina

Um policial vigia de uma torre de observação a Prisão Gilboa, no norte de Israel, em 6 de setembro de 2021 [Jalaa Marey/AFP via Getty Images]

A Autoridade Prisional de Israel impôs medidas punitivas aos detidos palestinos, alertou o Gabinete de Informação dos Prisioneiros esta manhã, acrescentando que isso poderia levar a uma “escalada séria” nas tensões nas prisões.

As autoridades de ocupação reduziram o tempo que os presos podem passar do lado de fora para uma hora e reduziram o número de detidos no pátio da prisão a qualquer momento. Também fecharam a loja dos prisioneiros, onde eles compram itens essenciais, incluindo sabão, e transferiram prisioneiros que são membros do movimento Jihad Islâmica para diferentes prisões.

Advogados e visitas de familiares foram proibidos, disse a Autoridade para Assuntos dos Prisioneiros da Organização para a Libertação da Palestina.

O Gabinete de Informação aos Presos sublinhou que “as prisões estão à beira de uma escalada perigosa à luz das medidas punitivas impostas pela administração penitenciária aos presos”.

LEIA: A resistência heróica da Palestina sinaliza o fracasso do sionismo

O porta-voz da Autoridade para os Assuntos dos Prisioneiros, Hassan Abd Rabbo, confirmou que as autoridades de ocupação transferiram todos os reclusos da prisão de Gilboa para várias outras prisões, colocando-os em regime de isolamento.

Essas medidas vêm depois que seis detidos palestinos, cinco dos quais eram membros da Jihad Islâmica, escaparam da prisão de alta segurança de Israel.

Cadeia de Gilboa na madrugada de ontem.

Categorias
IsraelNotíciaOriente MédioPalestinaVídeos & Fotojornalismo
Show Comments
Show Comments