Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Encontro entre Biden e Bennett deixa de abordar planos estruturais

Primeiro-Ministro de Israel Naftali Bennett (à direita) reúne-se com o Presidente dos Estados Unidos Joe Biden (à esquerda) na Casa Branca, em 27 de agosto de 2021 [GPO/Agência Anadolu]

O Primeiro-Ministro de Israel Naftali Bennett e o Presidente dos Estados Unidos Joe Biden abordaram a questão palestina em seu encontro na Casa Branca. Entretanto, sem apresentar qualquer plano estrutural, escreveu Nadav Shragai no jornal Israel Hayom.

Segundo seu artigo: “O governo americano não deu início a qualquer avanço diplomático sobre os palestinos, ao menos até que o Knesset aprove oficialmente o orçamento público em novembro. Tampouco divulgará uma iniciativa diplomática própria neste momento”.

“Biden pediu a Bennett para evitar medidas unilaterais nos assentamentos e Bennett aceitou uma política embasada no crescimento natural”, prosseguiu o articulista israelense.

Os assentamentos israelenses — ilegais conforme lei internacional — atingem hoje uma área de 21.500 acres, estimados em 1.52% da Cisjordânia ocupada.

LEIA: Apartheid de Israel na palestina é crime contra a humanidade

Porém, o crescimento natural da população de 500 mil colonos, segundo Bennett, “deverá espalhar-se por toda a jurisdição dos assentamentos — 132.695 acres ou 9.38% da Judeia e Samaria [Cisjordânia] — e incluirá milhares de novas unidades habitacionais todo ano”.

Entretanto, “os americanos discordam da interpretação israelense de ‘crescimento natural’ e mal se dispõem a tolerar a construção dentro da Linha Verde [fronteira estabelecida em 1967], muito menos milhares de unidades instaladas anualmente”.

“Quantas unidades serão construídas e onde exatamente será assunto das conversas entre Estados Unidos e Israel por trás das câmeras, neste momento”, reiterou Shragai.

Entretanto, seu artigo sugeriu que um acordo tácito foi alcançado durante a reunião: “Bennett tentará ganhar toda a aprovação possível ao passo que os Estados Unidos pressionarão o estado israelense o menos que puderem”.

Shragai também indicou que Biden pediu a Tel Aviv para evitar uma “solução injusta” sobre a evacuação dos palestinos no bairro de Sheikh Jarrah, na Cisjordânia ocupada. Bennett, todavia, insistiu que a questão aguarda uma decisão judicial.

Sobre os planos americanos de reabrir seu consulado palestino em Jerusalém Oriental, observou o texto: “Bennett pode satisfazer-se, por ora, com o fato de que Washington não tem qualquer plano consolidado sobre a questão palestina”.

Sobre a solução de dois estados: “Bennett opõe-se a qualquer estado palestino enquanto Biden e sua Casa Branca pensam tratar-se da única solução para o conflito. Por enquanto, no entanto, ambos os lados, por assim dizer, concordam em discordar”.

LEIA: O povo de Beita usará todos os meios para manter suas terras livres, diz ativista palestina

Categorias
Ásia & AméricasEstados UnidosIsraelNotíciaOriente MédioPalestina
Show Comments
Show Comments