Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Argélia deporta mais de 1.200 refugiados ao Níger, segundo OIM

Refugiados africanos deixam um campo de refugiados na região de Zeralda, subúrbio de Argel, em 28 de junho de 2018 [Farouk Batiche/Agência Anadolu]
Refugiados africanos deixam um campo de refugiados na região de Zeralda, subúrbio de Argel, em 28 de junho de 2018 [Farouk Batiche/Agência Anadolu]

A Argélia deportou mais de 1.200 refugiados do oeste africano, incluindo nigerianos, ao Níger desde a reabertura da fronteira por terra, em 14 de julho, reportou na segunda-feira (26) a Organização Internacional para as Migrações (OIM).

“Em 18 de julho, 515 nigerianos deportados da Argélia chegaram ao Níger”, detalhou o escritório da agência no país saariano. “Em 16 de julho, 752 refugiados da África Ocidental chegaram a pé em Assamakka, cidade nigerina mais próxima da fronteira argelina”.

“Após a perigosa jornada, os refugiados receberam itens não-alimentícios (higiene, cobertores e suprimentos) graças a recursos do Ministério do Interior da Itália”, prosseguiu.

LEIA: Níger apreende US$ 37 milhões em cannabis com destino à Líbia

Segundo as Nações Unidas, a Argélia expulsou dezenas de milhares de imigrantes oriundos das regiões oeste e central do continente desde 2014. Alguns dos refugiados tentaram se assentar no país, mas muitos buscaram avançar em direção à Europa.

Por anos, ongs locais e internacionais criticam Argel por sua abordagem sobre os refugiados subsaarianos — em alguns casos, deixados sem água ou comida no meio do deserto.

O governo argelino nega as acusações, ao descrevê-las como “campanha maliciosa”.

Em 14 de julho, o presidente Abdelmadjid Tebboune anunciou a reabertura da fronteira por terra entre Argélia e Níger, após dezesseis meses de fechamento devido ao covid-19.

LEIA: Adesão de Israel à União Africana não afetará o apoio do grupo à Palestina, diz chanceler da Argélia

Categorias
ÁfricaArgéliaNígerNotíciaOIMOrganizações Internacionais
Show Comments
Show Comments