Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Haftar descobre detalhes da retirada do exército de Trípoli

O marechal de campo líbio Khalifa Haftar (centro) entra em uma limusine ao sair do Hotel de Rome, em 21 de janeiro de 2020, em Berlim, Alemanha [Sean Gallup/Getty Images]
O marechal de campo líbio Khalifa Haftar (centro) entra em uma limusine ao sair do Hotel de Rome, em 21 de janeiro de 2020, em Berlim, Alemanha [Sean Gallup/Getty Images]

O comandante-chefe do Exército Nacional da Líbia (LNA, na sigla em inglês), marechal de campo Khalifa Haftar, anunciou que a retirada do exército de Trípoli era uma opção entre outras escolhas difíceis, devido à intervenção das forças do AFRICOM.

Haftar acrescentou que a retirada foi para proteger a retaguarda, portos e campos de petróleo, observando que as forças do Governo de Acordo Nacional (GNA, na sigla em inglês), apoiadas por potências regionais, teriam desembarcado nos portos e campos de petróleo.

O escritor e jornalista líbio Mahmoud Al-Misrati postou em sua página oficial do Facebook que, durante seu encontro com Haftar, este último confirmou que a decisão de retirar as forças armadas dos eixos de Trípoli foi uma decisão soberana do Comando Geral e foi uma opção entre outras alternativas difíceis. Haftar indicou: “As forças inimigas apoiadas por potências regionais iam pousar nas áreas de portos e campos de petróleo. A decisão de retirada foi tomada para proteger nossas linhas de retaguarda e áreas de portos e campos de petróleo”.

LEIA: Tribunal suíço ordena que filho do chefe do petróleo de Gadaffi pague US$ 1,5 milhão em caso de suborno

Haftar afirmou que as forças do AFRICOM tinham como alvo as forças líbias na Base Aérea de Al-Watiya e em vários centros de Trípoli, acrescentando: “Os americanos pediram ao Comando Geral das Forças Armadas que se desligasse do aliado russo e, quando lhes pedimos uma alternativa, eles desautorizaram e afrouxaram as rédeas sobre as técnicas da Turquia, AFRICOM e OTAN no direcionamento de nossas forças”.

“Não me arrependi de não ter usado força excessiva para invadir a capital a fim de preservar as vidas e propriedades de nosso povo. As milícias e terroristas se enganam com uma falsa vitória sobre as Forças Armadas, mas ficarão chocados com a verdade em breve”, acrescentou Haftar.

“Iremos buscar uma solução política até o final que o roteiro traça, que são as eleições, como desejaram nossos amigos e aliados”. Haftar afirmou: “Se não chegarmos a uma solução, então suas forças armadas estão prontas mais uma vez para libertar a capital das milícias e criminosos. A unidade da Líbia e a integridade de seu território e a retirada do ocupante são linhas vermelhas das quais não desistimos”.

Categorias
ÁfricaLíbiaNotícia
Show Comments
Show Comments