Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Haniyeh diz que visita ao Líbano tem especial importância para o Hamas

Ismail Haniya chega ao Aeroporto Internacional Beirut-Rafic Hariri em 27 de junho de 2021 em Beirute, Líbano [Ali Allouch/ ATPImages/ Getty Images]

O chefe do escritório político do Hamas disse no domingo que sua visita ao Líbano é de particular importância para o movimento, informou Anadolu. Ismail Haniyeh fez sua declaração durante uma coletiva de imprensa no Aeroporto Internacional de Beirute, ao chegar ao país. Sua visita vai durar vários dias e faz parte de uma turnê internacional que já passou por vários países árabes.

O Líbano é importante, explicou Haniyeh, porque terá a oportunidade de se encontrar com representantes do estado, incluindo a presidência, o parlamento e o governo. Ele também planeja se encontrar com líderes locais das facções palestinas, forças de resistência, grupos e organizações libanesas e palestinos nos campos de refugiados.

O líder do Hamas revelou que as reuniões incluirão uma discussão sobre os desenvolvimentos políticos após a “vitória das facções de resistência” na recente agressão israelense contra a Faixa de Gaza, e suas repercussões no terreno e no nível político. Centenas de pessoas foram mortas durante a ofensiva militar israelense entre 10 e 21 de maio, e outros milhares ficaram feridos. As facções palestinas responderam disparando mísseis contra cidades em todo o estado de ocupação.

LEIA: Hamas aumenta base de apoio na Palestina após ataques de Israel, mostra pesquisa

Haniyeh acrescentou que o foco principal de suas discussões serão os direitos fundamentais do povo palestino, em particular o direito de retorno e a não serem forçados a viver em uma pátria “alternativa”. Há 479.537 refugiados palestinos registrados na Agência das Nações Unidas de Assistência aos Refugiados da Palestina (UNRWA) no Líbano. Eles vivem em 12 acampamentos oficiais da ONU e 156 “ajuntamentos”.

A atual turnê incluiu Egito, Marrocos e Mauritânia até agora e representa uma iniciativa política para buscar apoio para a resistência palestina. Com isso, o movimento espera contrariar o efeito dos acordos de normalização entre alguns países árabes e Israel, anunciados no ano passado.

Categorias
IsraelLíbanoNotíciaOriente MédioPalestina
Show Comments
Show Comments