Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Grupo de direitos humanos pede aos Emirados Árabes que permita que prisioneiro compareça ao funeral de sua filha

Proeminente dissidente dos Emirados Alaa Al-Siddiq, em 21 de junho de 2021
Proeminente dissidente dos Emirados Alaa Al-Siddiq, em 21 de junho de 2021

O Emirates Detainees Advocacy Center (EDAC) expressou “profunda preocupação” com a notícia de que o contato foi perdido com o detido de consciência dos Emirados Árabes e ativista de direitos humanos Mohammad Abdul Razzaq Al-Siddiq.

Em um comunicado, o grupo disse que se acredita que Al-Siddiq foi repetidamente mantido em confinamento solitário, acrescentando que o “EDAC se sente desconfortável com o estado de saúde de Al-Siddiq […] especialmente depois de receber informações anteriores sobre a deterioração de sua saúde devido às péssimas condições de sua detenção”.

“Impedir que Al-Siddiq se comunique com sua família é uma séria violação do direito internacional humanitário e do direito internacional dos direitos humanos”, acrescentou, conclamando “as autoridades dos Emirados Árabes a permitirem que sua família o contate e analise sua saúde”.

Al-Siddiq cumpre pena de 10 anos nos Emirados Árabes após sua condenação no polêmico julgamento de 2013 contra 94 dissidentes políticos conhecido como UAE94. O notório julgamento em massa, que não atendeu aos padrões internacionais mínimos de justiça, foi amplamente criticado por organizações de direitos humanos e órgãos de direitos humanos da ONU.

Dois anos antes, al-Siddiq teve sua cidadania arbitrariamente revogada como punição depois que ele assinou a petição de 2011 pedindo reformas legislativas nos Emirados Árabes para garantir eleições justas para o Conselho Nacional Federal.

Em março, as autoridades dos Emirados revogaram a cidadania de seus três filhos, deixando-os apátridas.

Sua filha, Alaa, morreu em um acidente de carro em Londres no fim de semana passado, e a EDAC pediu aos Emirados Árabes que libertassem Al-Siddiq para que ele pudesse se despedir dela, em particular porque agora ele tem menos de nove meses para cumprir sua sentença.

LEIA: Rede de TV de Israel vai abrir escritório em Dubai e fecha importantes acordos de cooperação

Categorias
Emirados Árabes UnidosEuropa & RússiaNotíciaOriente MédioReino Unido
Show Comments
Show Comments