Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Dawn urge Congresso a questionar chefe de inteligência egípcia sobre Khashoggi

Jamal Khashoggi, então editor da emissora Alarab TV, durante coletiva de imprensa em Manama, capital do Bahrein, 15 de dezembro de 2014 [Mohammed al-Shaikh/AFP via Getty Images]

A organização Democracy for the Arab World Now (Dawn) exortou o Congresso dos Estados Unidos a questionar Abbas Kamel, chefe da inteligência egípcia em visita ao país, sobre relatos recentes de envolvimento do Cairo na morte do jornalista Jamal Khashoggi.

Segundo reportagem da rede Yahoo News, divulgada na última semana, o avião que transportou o esquadrão da morte responsável pela execução de Khashoggi à Turquia fez escala no Cairo, supostamente para recolher narcóticos letais.

Khashoggi, dissidente saudita e colunista do jornal The Washington Post, foi morto dentro do consulado da monarquia em Istambul. Seu corpo jamais foi recuperado.

Conforme os relatos, as drogas foram injetadas no braço direito do jornalista por um médico do Ministério do Interior da Arábia Saudita. Minutos depois, Khashoggi faleceu.

As novas informações revelam agora um vínculo antes desconhecido entre o regime egípcio do presidente e general Abdel Fattah el-Sisi e a execução sumária.

LEIA: Arábia Saudita aumentará investimentos no Egito em US$ 50 bilhões

Há ainda evidências de que o Egito forneceu treinamento ao esquadrão da morte em sua passagem pelo país, além de auxiliar no sequestro do príncipe saudita Saud Bin Saif Al-Nasr, crítico do príncipe herdeiro Mohammed Bin Salman, na Itália, em 2015.

“Os relatos que surgiram de que autoridades egípcias concederam drogas utilizadas para executar Khashoggi são aterradores”, declarou Sarah Leah Whitson, diretora-executiva da Dawn. “É preciso instaurar um inquérito parlamentar”.

Kamel está em Washington para reunir-se com oficiais da inteligência americana.

Segundo as informações, membros do Comitê de Relações Exteriores do Senado planejam convocá-lo e interrogá-lo sobre a passagem do esquadrão saudita por seu país, para averiguar se a inteligência local paramentou ou facilitou o crime.

Como chefe da Diretoria de Inteligência do Egito, cogita-se que Kamel tenha sido o principal contato com Riad, ao comunicar-se diretamente com o braço direito de Bin Salman, Saud al-Qahtani — hoje, sob sanções americanas pela morte de Khashoggi.

“É impossível que um avião do regime saudita tenha pousado no Egito sem conhecimento e aval das autoridades egípcias”, reiterou Whitson.

“É impossível também que qualquer um, senão oficiais do governo egípcio, tenha coordenado ações com oficiais sauditas para entregar narcóticos que, sabemos, foram utilizados para executar Jamal Khashoggi”, acrescentou.

Mohammed Bin Salman e a verdade sobre Khashoggi [Sabaaneh/Monitor do Oriente Médio]

Categorias
ÁfricaArábia SauditaEgitoEuropa & RússiaNotíciaOriente MédioTurquia
Show Comments
Show Comments