Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Palestinos vivem ‘momento fundacional’, diz congressista dos EUA

A congressista norte-americana Rashida Tlaib discursa em evento realizado pelo Conselho de Relações Americano-Islâmicas (CAIR) em Washington DC, Estados Unidos em 10 de janeiro de 2019 [Agência Safvan Allahverdi / Anadolu]
A congressista norte-americana Rashida Tlaib discursa em evento realizado pelo Conselho de Relações Americano-Islâmicas (CAIR) em Washington DC, Estados Unidos em 10 de janeiro de 2019 [Agência Safvan Allahverdi / Anadolu]

Os palestinos estão em meio a um “momento fundacional” em sua história, em meio a uma agitação generalizada em Jerusalém, disse a congressista norte-americana Rashida Tlaib na segunda-feira, informou a Agência Anadolu.

“Enquanto nos reunimos neste exato momento, estamos vendo a Nakba palestina continuar enquanto assistimos aos palestinos em Jerusalém serem fisicamente removidos de suas casas sob o atual líder de Israel, Netanyahu, enquanto sua agenda racista e violenta continua”, disse Tlaib referindo-se ao premiê israelense Benjamin Netanyahu durante um painel de think tank do Middle East Institute.

“Este é um momento fundamental para os palestinos, e para tantos que estão tão interligados a essa forma de opressão”, disse o legislador palestino-americano.

Pelo menos 305 pessoas ficaram feridas quando a polícia israelense invadiu na segunda-feira a mesquita de al-Aqsa na ocupada Jerusalém Oriental e atacou palestinos que estavam em guarda para evitar possíveis ataques de israelenses judeus de extrema direita, de acordo com o Crescente Vermelho Palestino. Al-Aqsa é a terceira mesquita mais sagrada do Islã.

As tensões estão aumentando em Jerusalém Oriental em meio a despejos planejados de dezenas de palestinos do bairro de Sheikh Jarrah, localizado ao norte da Cidade Velha. Palestinos protestando em solidariedade aos residentes de Sheikh Jarrah foram alvos de forças israelenses e grupos de colonos.

Israel ocupou Jerusalém Oriental durante a guerra árabe-israelense de 1967 e anexou a cidade inteira em 1980 – um movimento que nunca foi reconhecido pela comunidade internacional.

O apoio dos EUA a Israel, incluindo cerca de US $ 3,8 bilhões em ajuda militar anual, permitiu uma “eliminação” contínua dos palestinos, disse Tlaib.

“Devemos, sem hesitação, exigir que nosso país reconheça que o apoio incondicional de Israel permitiu o apagamento da vida palestina e a negação dos direitos de milhões de refugiados, e encoraja as políticas de apartheid” documentado na semana passada pela Human Rights Watch, disse Tlaib.

LEIA: África do Sul condena ataques e oposição quer suspender relações diplomáticas com Israel

Categorias
Ásia & AméricasEstados UnidosIsraelNotíciaOriente MédioPalestina
Show Comments
Show Comments