Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Ataque a Al-Aqsa é um desafio flagrante aos sentimentos dos muçulmanos, diz Mauritânia

Ataque a Al-Aqsa é um desafio flagrante aos sentimentos dos muçulmanos, diz Mauritânia
A polícia israelense intervém nos palestinos, que estavam esperando no Haram esh-Sharif para impedir que judeus fanáticos invadissem o Complexo Masjid al-Aqsa, em Jerusalém Oriental, em 10 de maio de 2021 [Mostafa Alkharouf/Agência Anadolu]

O presidente da Assembleia Nacional da Mauritânia, sheikh Ould Ahmed Ould Bayeh, condenou a invasão das forças israelenses à mesquita de Al-Aqsa e os ataques a fiéis.

Em um tweet, Ould Bayeh descreveu o que aconteceu como “um flagrante desafio aos sentimentos dos muçulmanos e uma violação da lei internacional e dos princípios dos direitos humanos”.

“Falar de paz vai contra a política de assentamento, confisco de terras e deslocamento dos donos das terras”, afirmou.

Desde o início do Ramadã, a cidade de Jerusalém tem testemunhado ataques das forças policiais de ocupação israelenses e colonos, especialmente no Portão de Damasco e no bairro de Sheikh Jarrah.

Nas noites de sexta e sábado, as forças israelenses atacaram fiéis na Mesquita de Al-Aqsa e em Jerusalém, resultando no ferimento de cerca de 300 pessoas, de acordo com o Crescente Vermelho Palestino.

LEIA: Israel se curva à pressão e adia despejos forçados em Sheikh Jarrah

Categorias
ÁfricaIsraelMauritâniaNotíciaOriente MédioPalestina
Show Comments
Show Comments