Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Fim da era Castro: Congresso em Cuba deve confirmar a aposentadoria de Raúl Castro

Raúl Castro Ruz (D) com Miguel Díaz-Canel, durante Assembleia Nacional que o elegeu presidente, em Palácio de Convenções de Havana, Cuba, em 19 de abril de 2018 [ Irene Pérez/ Cubadebate]

Nesta sexta-feira (16), Cuba irá encerrar as mais de seis décadas de governo dos Castro e pela primeira vez desde a Revolução Cubana, em 1959, não terá um integrante da família no poder. O 8º Congresso do Partido Comunista de Cuba (PCC) deve marcar a aposentadoria do atual primeiro-secretário, Raúl Castro, de 89 anos, que assumiu o cargo em 2011, substituindo seu irmão Fidel Castro.

Por quatro dias os vários delegados do PCC vão se reunir no Palácio de las Convenciones de Havana para debater as questões centrais do país, como implementação de reformas econômicas e sociais e o funcionamento do partido e ligação com as massas.

O atual presidente Miguel Díaz-Canel deve assumir a liderança do partido, cargo mais alto do poder em Cuba. No sistema político da ilha há a estrutura do Estado e do partido; em 2018, Díaz-Canel foi nomeado presidente, mas Raúl Castro manteve o controle do partido, que dita os rumos do governo.

O Congresso terminará segunda-feira (19), a data que marca os sessenta anos da vitória da Baía dos Porcos, quando tropas revolucionárias derrotaram um grupo anticastrista, financiado e treinado pela CIA, que tentava invadir Cuba e derrubar o governo de Fidel Castro.

Outros nomes da geração histórica do Partido, que participaram da Revolução, também devem se aposentar, dando lugar a uma renovação do partido.

Díaz-Canel, o primeiro presidente a ter uma conta no Twitter, usa a hashtag #SomosContinuidad buscando reafirmar que a sua liderança, tanto na presidência quanto no partido, é de continuidade da revolução cubana e da era Castro.

“Sonhar e dar continuidade a um país: hoje começa nosso 8º Congresso do PCC, o Congresso da Continuidade. Aqui as ideias são consolidadas, a história é reconhecida e o futuro é discutido. #SomosCuba #SomosContinuidade”, tuitou.

LEIA: A crueldade de Guantánamo é medieval. É uma história de terror. E é verdade.

 

Categorias
América LatinaCubaNotícia
Show Comments
Show Comments