Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Irã e China assinam acordo de cooperação de 25 anos

China foi a melhor parceiro comercial do Irã em 2020 com trocas no valor de US$ 73 bilhões (FT)

China e Irã, ambos sob sanções dos Estados Unidos, assinaram um acordo de cooperação de 25 anos neste sábado (27), a fim de fortalecer sua aliança política e econômica.

As informações são da agência Reuters.

“Relações entre os dois países chegam agora ao nível de parceria estratégica e a China busca melhorar cada vez mais as relações com o Irã”, declarou o Ministro de Relações Exteriores da China Wang Yi, durante cerimônia televisionada em Teerã.

“Nossas relações com o Irã não serão afetadas pela conjuntura, mas sim permanentes e estratégicas”, reiterou Wang. “O Irã decide independentemente sobre suas relações com outros países – não é como alguns outros que mudam de postura com um único telefonema”.

Com o pacto, o Irã faz parte agora da chamada Iniciativa do Cinturão e Rota da China, projeto de infraestrutura de trilhões de dólares para ligar a Ásia Oriental à Europa e expandir consideravelmente a influência econômica e política chinesa.

Espera-se que o novo acordo atraia investimentos chineses ao Irã, sobretudo aos setores de energia e infraestrutura.

Os planos de Pequim incitaram receios em Washington.

LEIA: Ex-presidente do Irã apoia inclusão da Arábia Saudita em novas negociações nucleares

A China costuma criticar abertamente as sanções dos Estados Unidos contra Teerã e já contestou parcialmente a política.

O Ministro de Relações Exteriores do Irã Mohammad Javad Zarif descreveu o regime chinês como “amigo para tempos difíceis”.

Ministro de Relações Exteriores do Irã Mohammad Javad Zarif (à esquerda) encontra-se com sua contraparte chinesa Wang Yi (segundo à direita), na capital iraniana Teerã, em 27 de março de 2021 [AFP via Getty Images]

Ministro de Relações Exteriores do Irã Mohammad Javad Zarif (à esquerda) encontra-se com sua contraparte chinesa Wang Yi (segundo à direita), na capital iraniana Teerã, em 27 de março de 2021 [AFP via Getty Images]

Wang reuniu-se ainda com o Presidente do Irã Hassan Rouhani antes da assinatura do acordo.

Rouhani expressou gratidão pelo apoio de Pequim à posição iraniana sobre o acordo nuclear assinado em 2015 com potências globais, segundo o qual Teerã concordou em restringir seu programa atômico em troca da suspensão de sanções internacionais.

“A cooperação entre ambos os países é muito importante para a implementação do acordo nuclear e para o cumprimento de suas obrigações por parte dos países europeus”, afirmou Rouhani, segundo informações de seu site oficial.

O Presidente dos Estados Unidos Joe Biden busca restaurar negociações sobre o acordo nuclear, revogado unilateralmente por seu predecessor Donald Trump, em 2018. Teerã quer que as sanções impostas por Trump sejam removidas antes de retornar ao diálogo.

“Sob seu novo governo, os americanos querem reconsiderar sua política e retomar o acordo nuclear”, declarou Wang. “A China acolhe esta medida”.

O chanceler chinês também prometeu enviar novos lotes de vacinas contra o coronavírus ao Irã, país mais atingido pela pandemia no Oriente Médio.

Saeed Khatibzadeh, porta-voz do Ministério de Relações Exteriores do Irã, descreveu o acordo como um novo roteiro para a cooperação econômica, comercial e no campo dos transportes, com foco particular nos setores privados de ambos os países.

LEIA: Irã diz que vacinas prometidas não chegaram ao país

Categorias
Ásia & AméricasChinaEstados UnidosIrãNotíciaOriente MédioVídeos & Fotojornalismo
Show Comments
Show Comments