Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Piloto da Emirates é suspenso por se recusar a voar para Israel

A companhia aérea Emirates suspendeu um piloto tunisiano por se recusar a voar para Israel

A companhia aérea Emirates suspendeu um piloto tunisiano por se recusar a voar para Israel. Moneem Saheb Tabaa confirmou a suspensão em sua página do Facebook, que desde então ele encerrou.

“Deus é [o] único [aquele] que cuida de mim…” disse Tabaa. “Eu não me arrependo.” O piloto está suspenso até uma audiência formal.

Conforme a notícia de sua suspensão se espalhou pelas redes sociais, muitos ativistas denunciaram a Emirates sediada em Dubai e elogiaram Tabaa por sua postura desafiadora ao se opor aos acordos de normalização do ano passado entre Israel e vários estados árabes. Os Emirados Árabes Unidos foram o primeiro dos últimos estados a estabelecer relações diplomáticas com Israel, junto com Bahrein, Sudão e, mais recentemente, Marrocos.

A Tunísia tem afirmado consistentemente que não tem intenção de seguir o exemplo e se normalizar com o estado de ocupação. Em nota no final do ano passado, o Ministério das Relações Exteriores da Tunísia afirmou: “Como a Tunísia respeita as posições soberanas de outros países, ela afirma que sua postura é baseada em princípios e que mudanças no cenário internacional nunca a afetarão”.

Ao ser eleito em 2019, o presidente da Tunísia, Kais Saied, disse que a Palestina está gravada no coração dos tunisianos e que “a Palestina não é um lote de terra registrado como imóvel”.

Após a normalização do Marrocos com Israel, o Presidente do Parlamento da Tunísia e chefe do Movimento Ennahda, Rached Ghannouchi, disse: “Ficamos chocados com essa medida, que contradiz o consenso árabe expresso pela Iniciativa de Paz Árabe. Apoiamos os direitos de o povo palestino de acordo com o princípio da fraternidade árabe e muçulmana, bem como com a lei internacional”.

Tanto a Tunísia quanto a Argélia impediram que aviões israelenses usassem seu espaço aéreo para voos de e para o Marrocos, forçando-os a fazer uma rota indireta via Europa. As companhias aéreas israelenses começaram a operar voos diretos entre Tel Aviv e os Emirados Árabes Unidos em agosto. A Etihad Airways foi a primeira companhia aérea dos Emirados Árabes Unidos a voar para Israel, transportando medicamentos com destino à Palestina. De acordo com o site de notícias israelense Globes, a Emirates deve lançar seus voos de Dubai para Tel Aviv no próximo mês.

LEIA: Israel quer grande compensação financeira da Tunísia, diz ex-ministro

Categorias
Emirados Árabes UnidosIsraelNotíciaOriente MédioPalestinaTunísiaVídeos & Fotojornalismo
Show Comments
Show Comments