Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Kamala Harris diz que EUA vão reverter política de Trump e restaurar relação com a Palestina

Kamala Harris, candidata a vice-presidente do Partido Democrata em Delaware, EUA em 12 de agosto de 2020 [Drew Angerer / Getty Images]
Kamala Harris, candidata a vice-presidente do Partido Democrata em Delaware, EUA em 12 de agosto de 2020 [Drew Angerer / Getty Images]

A candidata a vice-presidente dos Estados Unidos pelo Partido Democrata fez várias promessas sobre o governo sob a presidência de Joe Biden em uma entrevista no fim de semana para o Arab American News. Ela afirmou que o governo reverterá uma série de polêmicas políticas do presidente Donald Trump sobre a Palestina e o Oriente Médio em geral, de acordo com Kamala Harris.

Respondendo a uma pergunta sobre a política externa dos EUA na Palestina e no Oriente Médio em geral, Harris disse: “Joe e eu também acreditamos no valor e no mérito de cada palestino e cada israelense e trabalharemos para garantir que palestinos e israelenses desfrutem de medidas iguais de liberdade, segurança, prosperidade e democracia. ”

Sinalizando uma grande mudança da era Trump, que viu os EUA abandonarem sua posição tradicional para ficar do lado do governo ultra-direitista anti-palestino de Benjamin Netanyahu, Harris acrescentou: “Estamos comprometidos com uma solução de dois Estados, e vamos opor-se a quaisquer medidas unilaterais que prejudiquem esse objetivo. Também nos oporemos à anexação e à expansão dos assentamentos”.

Harris também se comprometeu a reverter a decisão de Trump de despojar organizações que prestam socorro e ajuda aos palestinos. “Tomaremos medidas imediatas para restaurar a assistência econômica e humanitária ao povo palestino, abordar a crise humanitária em curso em Gaza, reabrir o consulado dos EUA em Jerusalém Oriental e trabalhar para reabrir a missão da OLP em Washington”.

Falando sobre o Oriente Médio em geral, Harris disse que na Síria uma administração liderada por Biden “mais uma vez estará com a sociedade civil e os parceiros pró-democracia na Síria, e ajudará a avançar um acordo político onde o povo sírio tenha voz”.

Em comentários que provavelmente causarão profunda ansiedade na Arábia Saudita, Harris afirmou que os EUA não ficarão parados e assistirão Riad causar estragos na região. “Em vez de ficar parado enquanto o governo da Arábia Saudita segue políticas desastrosas e perigosas, incluindo a guerra em curso no Iêmen, vamos reavaliar a relação dos EUA com a Arábia Saudita e encerrar o apoio à guerra liderada pela Arábia Saudita no Iêmen”, disse Harris.

Harris também comentou sobre a polêmica proibição muçulmana de Trump. “Discriminação e intolerância não terão lugar no governo Biden-Harris”, acrescentou ela. “Em nosso primeiro dia no cargo, Joe e eu rescindiremos as proibições das viagens muçulmanas não americanas e de refugiados e faremos da América, mais uma vez, um destino acolhedor para imigrantes e refugiados, inclusive aumentando o limite de admissão de refugiados.”

LEIA: Se você se preocupa com Israel, vote em Trump’, diz o chefe dos colonos israelenses

Categorias
Ásia & AméricasEUAIsraelNotíciaOriente MédioPalestina
Show Comments
Show Comments