Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Israel pede que Itália convença Autoridade Palestina a negociar

Gabi Ashkenazi durante a fase final da campanha eleitoral Azul e Branco em Tel Aviv, Israel, 15 de setembro de 2019 [Agência Faiz Abu Rmeleh/ Anadolu]
Gabi Ashkenazi durante a fase final da campanha eleitoral Azul e Branco em Tel Aviv, Israel, 15 de setembro de 2019 [Agência Faiz Abu Rmeleh/ Anadolu]

O Times of Israel divulgou na quinta-feira afirmação do ministro das Relações Exteriores de Israel, Gabi Ashkenazi, de ter pedido a seu homólogo italiano Luigi Di Maio, antes de visitar Ramallah na sexta-feira, para ajudar a persuadir a liderança da AP a retornar à mesa de negociações com Israel.

“Os Acordos de Abraão são uma janela de oportunidade para renovar as negociações com os palestinos a fim de encontrar uma solução justa e duradoura de paz e respeito mútuo”, disse Ashkenazi a Di Maio durante uma visita a Jerusalém.

“Infelizmente”, afirmou ele, “quem continua a se recusar a aproveitar a janela de oportunidade é a liderança da Autoridade Palestina”.

Enquanto isso, a agência de notícias italiana ANSA informou que Di Maio deu boas-vindas aos acordos de Abraham. “A assinatura dos Acordos de Abraham é uma contribuição positiva para a paz e estabilidade no Oriente Médio”, afirmou.

“A aproximação gradual do mundo árabe e de Israel contribuirá para a estabilidade regional e para o reconhecimento do direito de Israel de existir em segurança. Este é um dos pontos cardeais de nossa política externa no Oriente Médio ”, disse o italiano.

“Esperamos que os Acordos de Abraham possam impulsionar o relançamento do processo de paz com a retomada das negociações diretas entre israelenses e palestinos em vista de uma solução de dois estados que seja justa, sustentável e praticável”, declarou.

LEIA: Israel prepara sanção a bancos palestinos que atendem famílias de prisioneiros

Durante a visita de Di Maio a Ramallah, ele se encontrou com o primeiro-ministro da AP, Mohammad Shtayyeh, e discutiu o conflito israelense-palestino.

Segundo a agência de notícias Wafa, Shtayyeh exortou o país de Di Maio a “romper o status quo ao reconhecer o Estado palestino à luz da destruição sistemática da solução de dois Estados como resultado do acordo israelense e das decisões do governo dos Estados Unidos que violam o direito internacional. ”

Ele também confirmou: “Este é o momento certo para a União Europeia e seus membros trabalharem para preencher o vazio deixado pela administração dos EUA no processo político por sua inclinação para Israel”.

LEIA: Polícia israelense restringe o acesso de palestinos a Al-Aqsa

Categorias
Europa & RússiaIsraelItáliaNotíciaOriente MédioPalestina
Show Comments
Show Comments