Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Embaixador dos Emirados diz que Israel adiou anexação para obter normalização

Secretário de Estado dos EUA Mike Pompeo (esq.) fala com o embaixador dos Emirados nos EUA Yousef Al Otaiba no campus da NYU em Abu Dhabi em Abu Dhabi em 13 de janeiro de 2019. [Andrew Caballero-Reynolds/ AFP via Getty Images]
Secretário de Estado dos EUA Mike Pompeo (esq.) fala com o embaixador dos Emirados nos EUA Yousef Al Otaiba no campus da NYU em Abu Dhabi em Abu Dhabi em 13 de janeiro de 2019. [Andrew Caballero-Reynolds/ AFP via Getty Images]

O embaixador dos Emirados Árabes Unidos nos Estados Unidos, Yousef Al-Otaiba, afirmou que seu país estipulou que Israel adiasse seus planos de anexar grandes áreas da Cisjordânia ocupada, Jerusalém Oriental e Vale do Jordão, por muito tempo antes de assinar o acordo de normalização com o estado de ocupação, noticiou o jornal israelense Maariv.

De acordo com o jornal, Al-Otaiba explicou que Abu Dhabi também estipulou que o período de adiamento não será revelado.

“Estou convencido de que a anexação não estará em cima da mesa por muito tempo, e este é o acordo que alcançamos com Israel, e deixamos claro aos Estados Unidos que queremos ocultar o período de tempo que combinamos,” ele acrescentou, dizendo que os israelenses verão os benefícios dos acordos em um futuro próximo, mas a anexação não fará parte deles.

“Depois de cerca de uma semana do acordo, vimos que 80 por cento dos israelenses o apóiam, embora venha às custas do plano de anexação.” ele adicionou.

Al-Otaiba criticou a resposta palestina à normalização, dizendo: “É irônico que os palestinos se sintam traídos, após a assinatura, quando na realidade deveriam estar felizes porque foi isso que impediu a anexação”.

LEIA: Poetisa emiradense é barrado de viajar por rejeitar o acordo com Israel

Em 13 de agosto, o presidente dos EUA, Donald Trump, anunciou um acordo de paz entre os Emirados Árabes Unidos e Israel mediado por Washington.

Abu Dhabi disse que o acordo foi um esforço para evitar a anexação planejada de Tel Aviv da Cisjordânia ocupada, no entanto, os oponentes acreditam que os esforços de normalização estão iminentes há muitos anos, já que autoridades israelenses fizeram visitas oficiais aos Emirados Árabes Unidos e participaram de conferências no país que não tinha laços diplomáticos com o estado de ocupação.

O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, negou, porém, dizendo que a anexação não está fora da mesa, mas simplesmente foi adiada.

Na última quarta-feira, o embaixador dos Estados Unidos em Israel, David Friedman, disse ao Jerusalem Post que o adiamento do plano de anexação de Israel não significa que ele foi cancelado.

Categorias
Ásia & AméricasEmirados Árabes UnidosEUAIsraelNotíciaOriente MédioPalestina
Show Comments
Show Comments