Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Quatro afegãos são indiciados por incêndios em Moria, Grécia

Campo de refugiados de Moria destruído por um grave incêndio, 16 de setembro de 2020 [Angelos Tzortzinis/AFP/Getty Images]
Campo de refugiados de Moria destruído por um grave incêndio, 16 de setembro de 2020 [Angelos Tzortzinis/AFP/Getty Images]

Quatro afegão foram indiciados formalmente por envolvimento no incêndio criminoso que destruiu grande parte do campo de refugiados de Moria, na Grécia, na última semana, reportou a rede Associated Press (AP).

Os quatro homens, acusados de dar início ao fogo, que espalhou-se por duas noites consecutivas, na última semana, foram detidos pela polícia e terão três dias para preparar seu testemunho apresentado em audiência.

Dois outros imigrantes, menores de idade, também acusados de participação no incêndio, foram encaminhados à custódia policial na área continental da Grécia, contudo sem acusações formais.

As linhas de inquérito em curso sugerem que os incêndios da última semana, que irromperam simultaneamente, foram iniciados deliberadamente pelo grupo de imigrantes, descontentes com o lockdown imposto ao campo, devido ao surto de coronavírus.

O fogo queimou por duas noites em Moria e destruiu o assentamento informal superlotado que abrigava mais de 12.000 refugiados e imigrantes na ilha de Lesbos, leste da Grécia.

Não houve relatos de mortes; porém, milhares de residentes do campo foram obrigados a fugir. A maioria permanece sem abrigo e está acampando ao lado de rodovias e em campos ermos, na região.

LEIA: Unifil resgata trinta e seis migrantes na costa do Líbano

Tropas do exército grego já começaram a construir um novo campo de refugiados na ilha, como abrigo emergencial aos residentes novamente deslocados do campo devastado de Moria.

Contudo, a rede AP reportou que muitos refugiados hesitam mudar-se a um novo assentamento informal, com receios de tornar-se outro campo improvisado e superlotado, assim como Moria.

A comunidade europeia tenta agora reagir a esta nova crise. A Presidente da Comissão Europeia Ursula von der Leyen fez um apelo por unidade continental para conter o problema, nesta quarta-feira (16).

“As imagens de Moria são uma lembrança dolorosa da necessidade de trabalharmos juntos”, afirmou von der Leyen. “Todos têm de assumir responsabilidades – a comissão fará justamente isso … mas quero deixar claro: caso nos apresentemos, espero o mesmo de todos os estados-membros [da União Europeia]. A migração é um desafio à Europa e toda a Europa deve fazer sua parte.”

A Alemanha já prometeu asilo a 408 famílias que atualmente vivem em campos de refugiados na Grécia e exortou outros países do bloco a atos semelhantes.

LEIA: Naufrágio na costa da Líbia deixa vinte e quatro mortos

Categorias
AfeganistãoÁsia & AméricasEuropa & RússiaGréciaNotícia
Show Comments
Show Comments