Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

OMS afirma que centros de diálise estão sem medicamentos e combustível no Iêmen

Pacientes recebem tratamento médico em um hospital em Sana'a, Iêmen, em 1 de abril de 2019 [Mohammed Hamoud / Agência Anadolu]
Pacientes recebem tratamento médico em um hospital em Sana'a, Iêmen, em 1 de abril de 2019 [Mohammed Hamoud / Agência Anadolu]

A Organização Mundial da Saúde (OMS) alertou ontem que os centros de diálise no Iêmen sofrem com uma grave escassez de suprimentos essenciais, de medicamentos a combustível, para o funcionamento dos equipamentos hospitalares, além de falta de fundos para pagar os profissionais de saúde.

A organização disse em um comunicado que entre setembro de 2019 e maio de 2020, cerca de 110.340 sessões de diálise foram fornecidas a mais de 4.300 pacientes que sofrem de insuficiência renal crônica.

O oficial de doenças não transmissíveis do escritório da OMS no Iêmen, Abdulwahab Al-Nehmi, dizendo que “o acesso limitado a sessões de diálise e a tratamento coloca as vidas desses pacientes vulneráveis ​​em maior risco, para não mencionar o sofrimento que eles e suas famílias passam por causa da falta de tratamento. ”

A OMS observou que, apesar dos seus longos esforços e de seus parceiros em coordenação com as autoridades de saúde, lacunas significativas permanecem devido à escassez de financiamento para a ajuda humanitária no Iêmen, sob o colapso das instituições públicas.

O comunicado informa que mais de 17,9 milhões de pessoas, de uma população total de 30 milhões, precisam de serviços de saúde em 2020, enquanto apenas metade das unidades de saúde estão funcionando plenamente.

LEIA: Rei saudita remove comandante máximo da guerra no Iêmen

Categorias
IêmenNotíciaOMSOrganizações InternacionaisOriente Médio
Show Comments
Show Comments