Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Ex-oficial da inteligência saudita sob segurança reforçada no Canadá após novas ameaças

O príncipe herdeiro da Arábia Saudita, Mohammed bin Salman, posa antes de uma reunião com o presidente francês Emmanuel Macron no Palácio Presidencial Elysee em 10 de abril de 2018 em Paris, França [Chesnot / Getty Images]
O príncipe herdeiro da Arábia Saudita, Mohammed bin Salman, posa antes de uma reunião com o presidente francês Emmanuel Macron no Palácio Presidencial Elysee em 10 de abril de 2018 em Paris, França [Chesnot / Getty Images]

O ex-oficial da inteligência saudita, Saad al-Jabri, que na semana passada fez a alegação explosiva de que o príncipe herdeiro Mohammed Bin Salman havia feito várias tentativas de assassiná-lo, foi colocado sob segurança reforçada no Canadá, após uma nova ameaça contra sua vida.

Os agentes do príncipe herdeiro ainda estariam à caça de al-Jabri. O homem de 62 anos entrou com um processo nos Estados Unidos na semana passada, no qual ele detalha uma longa campanha envolvendo ameaças e intimidações para forçá-lo a retornar ao reino. O ex-chefe da inteligência também afirmou que Bin Salman tentou assassiná-lo da mesma maneira que o colunista Jamal Khashoggi, do Washington Post.

Al-Jabri fugiu do reino em 2017. Ele agora mora em um local não revelado na região de Toronto. Isso não impediu Bin Salam, conhecido popularmente como MBS, de tentar silenciá-lo de uma vez por todas, informaram fontes canadenses.

LEIA: Príncipe saudita ordenou execução de ex-oficial no Canadá, aponta processo legal

Citando uma fonte com conhecimento da situação, o Globe and Mail informou que agências de segurança canadenses foram recentemente alertadas sobre uma nova tentativa de assassinar Al-Jabri. Embora a fonte não forneça mais detalhes sobre o recente assassinato, alega-se que Al-Jabri foi colocado sob proteção de oficiais “fortemente armados” da Real Polícia Montada do Canadá, bem como de guardas particulares.

O Globe and Mail conversou com várias pessoas para verificar a veracidade da afirmação feita por Al-Jabri. Richard Fadden, ex-diretor do Serviço Canadense de Inteligência de Segurança que também atuou como conselheiro de segurança nacional de dois primeiros-ministros, disse que as alegações de Al-Jabri apresentadas no tribunal são plausíveis.

“Eu sei que Mohammed bin Salman está atrás de [Al-Jabri] há algum tempo. Eu sei que o MBS é um tipo de cara muito cruel – testemunha Khashoggi – então, somando dois e dois, eu chego a quatro. Por isso, fundamentalmente, quanto ao conteúdo, eu acredito nele ”, disse. “Cada pequeno detalhe é um problema diferente.”

A professora de ciência política da Universidade de Waterloo, Bessma Momani, especialista em política do Oriente Médio, é outra que expressou confiança nas alegações de Al-Jabri.

Al-Jabri se tornou um homem marcado por causa de seus laços estreitos com a comunidade de inteligência dos Estados Unidos e seu conhecimento “íntimo” das atividades de Bin Salman. Ele teria o potencial de minar a influência e o apoio do príncipe herdeiro na Casa Branca de Trump, dizem.

Em 2017, Al-Jabari caiu em desgraça após o golpe suave que viu Bin Salman substituir Mohammed Bin Nayef como príncipe herdeiro. O oficial de inteligência deixou o reino e se estabeleceu na Turquia antes de se mudar para o Canadá, enquanto o príncipe moveu-se contra os aliados domésticos de Nayef, que até então haviam sido colocados em prisão domiciliar.

LEIA: O sequestro de familiares é a tática de Bin Salman para intimidar dissidentes sauditas

Categorias
Arábia SauditaÁsia & AméricasCanadáEUANotíciaOriente Médio
Show Comments
Show Comments