Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Argélia enterra restos mortais de 24 combatentes da independência

Nesta sexta-feira, a Argélia recebeu os restos mortais de combatentes da independência após 170 anos na França

Neste domingo (5), a Argélia realizou um funeral oficial para 24 combatentes da independência mortos durante a luta de resistência popular argelina contra o domínio colonial da França, segundo informações da agência Anadolu.

O Presidente da Argélia Abdelmadjid Tebboune e oficiais de alto escalão participaram de um a procissão para sepultar os restos mortais no Cemitério de El-Aliain, na capital Argel.

Envoltos na bandeira argelina, os restos mortais dos 24 combatentes foram transportados em veículos militares decorados com flores, do Palácio Cultural de Moufid Zakaria até o local de sepultamento.

A Argélia recebeu os restos mortais dos combatentes na sexta-feira (3), após mais de 170 anos na França.

O dia 5 de julho marca o 58° aniversário da independência da Argélia.

LEIA: Partido turco acusa França de cumplicidade no ‘crime das valas comuns’ na Líbia

O domínio colonial francês enfrentou forte resistência argelina e reagiu com repressão brutal e uma série de massacres. No século XIX, a França expropriou 37 crânios de combatentes argelinos para serem expostos no Museu da Humanidade em Paris.

A Argélia demanda a devolução dos restos mortais desde 2011, para realizar o devido enterro. O governo francês rejeitou a reivindicação.

Posteriormente, o Presidente da França Emmanuel Macron anunciou que oficiais europeus estavam dispostos a redigir uma lei para permitir a devolução dos restos mortais, embora o processo fora postergado por anos.

Após chegar ao poder, em 19 de dezembro último, Tebboune prometeu recuperar os restos mortais dos combatentes em questão e sepultá-los devidamente na Argélia.

A França ocupou a Argélia por 132 anos, a começar em 5 de julho de 1830. Em 5 de julho de 1962, o país norte-africano enfim declarou sua independência do domínio colonial.

Ao longo da luta por independência, mais de 1.5 milhões de argelinos foram mortos, além de centenas de milhares de feridos, desaparecidos ou expulsos de suas casas e terras.

Categorias
ÁfricaArgéliaEuropa & RússiaFrançaNotíciaVídeos & Fotojornalismo
Show Comments
Show Comments