Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Ensino no Líbano está ameaçado pelo coronavírus e crise econômica, relata Save the Children

Estudantes vestem máscaras como precaução contra o coronavírus, em Beirute, capital do Líbano, 22 de fevereiro de 2020 [Hussam Chbaro/Agência Anadolu]

A pandemia de coronavírus e a crise econômica no Líbano põem sob risco o direito de acesso à educação a muitos estudantes em todo o país, declarou hoje (29) em relatório a organização Save the Children.

Pesquisa conduzida frente a 137 cidadãos libaneses, além de refugiados sírios e palestinos, com idades entre 12 e 24 anos, demonstraram que 75% dos estudantes têm dificuldades com o ensino online. O índice atinge 80% entre meninas.

“Escolas estão fechadas. Meus professores usam agora o WhatsApp como alternativa, mas encontramos dificuldades em acessar os materiais. Nossa grade já é difícil, imagina aprender por telefone”, relatou Sahar, de dezessete anos.

LEIA: Empregador libanês impede trabalhadora doméstica nigeriana de voltar para a casa

Todavia, embora escolas libanesas tenham estabelecido iniciativas de ensino à distância, com ajuda de autoridades, refugiados sírios e palestinos que responderam à entrevista afirmaram que suas escolas não possuem recursos para educação online.

Segundo o relatório, muitos entrevistados afirmaram que seus pais não podem pagar por professores particulares que possam auxiliar na conclusão em casa de sua grade curricular; a educação, portanto, está suspensa.

Entretanto, 66% dos entrevistados relataram à Save the Children que dependem de apoio financeiro a membros de sua família que perderam o emprego. Além disso, 90% afirmaram que qualquer apoio financeiro externo tem como prioridade a compra de necessidades básicas, como alimentos e remédios.

“Minha irmã foi demitida do trabalho, assim como meu irmão. Meu pai, taxista, não pode trabalhar ou deixar a casa. Passamos a maior parte, senão todo nosso tempo em casa, sem fazer nada”, declarou Sahar.

Em 2019, mesmo antes do surto de coronavírus e a decorrente crise econômica, a entidade Save the Children reportou que 70% dos refugiados no Líbano já vivem abaixo da linha da pobreza.

A organização previu que índices de abandono escolar provavelmente aumentarão, à medida que famílias perdem seus meios de sobrevivência e não podem mais comprar livros ou uniformes ou pagar transporte.

Jad Sakr, diretor nacional para o Líbano da organização Save the Children, afirmou:

“Nas comunidades mais vulneráveis, muitas infâncias serão abreviadas pois crianças estão sob risco exponencial de trabalho e casamento infantil. Afetará os mais carentes e marginalizados da pior maneira.”

A organização ainda fez um apelo às autoridades libanesas e à comunidade internacional para que estabeleçam planos de assistência social a famílias com dificuldades para sobreviver sob as difíceis circunstâncias econômicas atuais, além de conduzir projetos de apoio ao setor educacional.

LEIA: No Líbano, mulheres são mortas em suas casas durante o isolamento

Categorias
CoronavírusLíbanoNotíciaOriente Médio
Show Comments
Show Comments