Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Condenado pelo ataque de 11/9 diz que Osama Bin Laden era um “idiota útil” da CIA

Imagem do líder da Al-Qaeda, Osama bin Laden [foto de arquivo]

Zacarias Moussaoui, o único homem já condenado nos EUA por seu papel no ataques terroristas de 11 de setembro de 2001, anunciou agora que renuncia ao terrorismo, à Al-Qaeda e ao Daesh.

Atualmente cumprindo uma sentença de prisão perpétua em um presídio federal no Colorado, depois de ter escapado da pena de morte em seu julgamento de 2006, Moussaoui também denunciou o falecido líder da Al-Qaeda, Osama Bin Laden, em uma moção escrita à mão, que ele apresentou a um tribunal federal no mês passado.

LEIA: FBI acidentalmente expõe ligação de diplomata saudita com o 11 de setembro

“Eu denuncio, repúdio a Osama Bin Laden como um idiota útil da Agência Central de Inteligência (CIA)/ Arábia Saudita. Também proclamo inequivocamente minha oposição a qualquer ação ataque, propaganda terrorista contra os EUA ”, escreveu Moussaoui.

Ele também alertou “jovens muçulmanos contra o engano e a manipulação desses jihadistas falsos”.

A Associated Press informou que Katherine Donahue, que escreveu um livro sobre Moussaoui depois de comparecer ao julgamento de 2006, afirmou que não tinha conhecimento de nenhum outro caso em que ele tivesse renunciado ao terrorismo ou a Bin Laden. “Ele está [na prisão] há 14 anos. É muito tempo para alguém pensar no que fez “, afirmou Donahue. “Eu não o vejo mentindo. Havia tantas maneiras com as quais ele poderia ter se beneficiado antes com mentira”.

A renúncia de Moussaoui faz parte de sua petição na busca de relaxamento das condições sob as quais ele atualmente cumpre sua sentença. Em 2015, ele também afirmou que a Al-Qaeda recebeu apoio de alguns dos membros mais antigos da família real saudita.

A Operação Ciclone da CIA armou e financiou os mujahideen afegãos contra os soviéticos, de 1979 a 1989. Precursora da Al-Qaeda, a organização de Bin Laden, a Maktab-Al-Khidamat (MAK), que recrutou e facilitou que combatentes estrangeiros, principalmente árabes. assistissem os mujahideen, foi apoiada pela inteligência paquistanesa e também serviu de canal para a CIA conduzir sua guerra secreta contra a ocupação soviética em meio ao conflito mais amplo da Guerra Fria. Bin Laden foi morto no Paquistão em uma operação das Forças Especiais dos EUA em 2011 em seu complexo, perto de uma academia militar.

LEIA: Arábia Saudita recebe investigação sobre estagiário que matou marinheiros dos EUA

Categorias
Arábia SauditaÁsia & AméricasEUANotíciaOriente Médio
Show Comments
Show Comments