Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Cidadão libanês confessa ter contrabandeado partes de um drone americano ao Hezbollah

Tropas do Hezbollah, em 15 de abril de 2016 [Agência Anadolu]

Nesta segunda-feira (18), o libanês Osama Hamada confessou culpa diante uma de corte federal em Minnesota por conspirar e exportar ilegalmente itens de tecnologia de fabricação americana ao braço armado do grupo Hezbollah, apoiado pelo Irã, reportou Erica MacDonald, procuradora-chefe dos Estados Unidos.

Em março, o irmão de Osama, Issam, também declarou-se culpado diante de uma corte federal em Minnesota por exportar partes de drones ao Líbano.

LEIA: Ao banir o Hezbollah, a Alemanha curva-se à pressão sionista, mas sem muita relevância

Os promotores relataram que os dois irmãos adquiriram a tecnologia avançada para drones militares entre 2009 e 2013, e exportaram as peças ilegalmente ao Hezbollah, considerado grupo terrorista pelos Estados Unidos. As informações são da rede Associated Press.

Osama e Issam foram presos em fevereiro de 2018, na África do Sul, e foram extraditados aos Estados Unidos em 2019.

Segundo a lista de acusações, as partes incluíam unidades de medida, que podem ser utilizadas para rastrear a posição de itens aéreos por meio de sua bússola digital, ao serem pareadas com unidades de medidas de sistemas de orientação de drones. As partes também incluem um motor a jato e vinte motores de pistão.

Categorias
Ásia & AméricasEstados UnidosLíbanoNotíciaOriente Médio
Show Comments
Show Comments