Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Armas da Dinamarca para os Emirados acabaram no Iémem, denuncia reportagem

Garoto iemenita anda de bicicleta em escombros de casas destruídas em ataque aéreo recente realizado pela coalizão liderada pela Arábia Saudita em 23 de maio de 2019 em Sana'a, Iêmen [Mohammed Hamoud / Getty Images]

Uma série de investigações dinamarquesas publicadas pelo centro de jornalismo investigativo  Danwatch no domingo acusou o maior fabricante de armas do país de crimes de guerra no Iêmen.

A reṕortagem, baseada em informações coletadas de relatórios de inteligência, solicitações de acesso público, imagens de satélite, televisão e entrevistas, constatou que a fabricante dinamarquesa de armas Terma continuou a fornecer sistemas de defesa de radar e mísseis aos Emirados Árabes Unidos, que foram posteriormente utilizados na guerra civil no Iêmen.

As vendas da Terma continuaram depois de 22 de novembro de 2018, apesar da decisão da Dinamarca e de outros estados europeus de bloquear as exportações de armas para a Arábia Saudita e os Emirados Árabes Unidos, devido ao seu envolvimento no Iêmen.

A investigação conjunta de Danwatch, TV2 e Lighthouse alega que o equipamento militar fornecido pela Terma depois de 2018 foi usado para impedir que navios de carga que transportam ajuda de emergência chegassem à costa do Iêmen.

LEIA: Ataques sauditas destroem patrimônios mundiais no Iêmen

A reportagem analisa imagens da estação de televisão dos Emirados, Aloom Al-Daar, mais tarde divulgadas no YouTube, mostrando um navio de guerra dos Emirados Árabes Unidos parando um navio de carga menor, como parte do bloqueio do Iêmen.

O Danwatch reivindica que essa filmagem, e “vários outros vídeos” demonstram a participação dos Emirados Árabes Unidos no bloqueio e, portanto, a cumplicidade de Terma em causar uma onda de fome que, segundo a investigação, causou a morte de pelo menos 85.000 crianças iemenitas.

A reportagem afirma que as exportações de armas da Terma para os Emirados Árabes Unidos facilitaram o bombardeio em regiões controladas pela oposição do país, fornecendo um sistema de defesa para as aeronaves de combate Arcanjo.

LEIA: Comandante houthi é morto em confronto com o exército, afirma fonte militar do Iêmen

A investigação foi capaz de identificar aeronaves Arcanjo, dos Emirados, em vários lugares na zona de guerra através de imagens de satélite, informou Danwatch.

O secretário geral da Anistia Internacional na Dinamarca, Trine Christensen, disse aos repórteres que “os Emirados estão profundamente envolvidos no bloqueio do Iêmen. Este teve conseqüências catastróficas para a população civil e está contribuindo para a fome extensa porque os suprimentos de alimentos e medicamentos não podem entrar no país. ”

Ele diz que “é claro, apenas um tribunal pode decidir se o que está acontecendo no Iêmen é um crime de guerra. Mas cheira fortemente a crimes de guerra e crimes contra a humanidade. ”

Segundo a investigação, a continuidade das vendas e seu subsequente uso pelos Emirados Árabes Unidos no Iêmen podem representar uma violação do direito internacional humanitário e a perpetração de crimes de guerra.

As autoridades da Terma e da Dinamarca recusaram repetidamente pedidos para falar diretamente com aqueles que realizam a investigação.

LEIA: Cinquenta pessoas morrem no Iêmen por doença do chicungunha

Categorias
Arábia SauditaDinamarcaEmirados Árabes UnidosEuropa & RússiaIêmenNotíciaOriente Médio
Show Comments
Show Comments