Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Cinquenta pessoas morrem no Iêmen por doença do chicungunha

Trabalhador sanitário durante trabalhos de fumigação conduzidos por uma campanha para exterminar insetos transmissores de doenças, como malária, dengue e chicungunha, em Aden, cidade costeira no sul do Iêmen, 3 de maio de 2020 [Saleh al-Obeidi/AFP/Getty Images]

Cinquenta pessoas perderam suas vidas em Aden, capital provisória do Iêmen, devido à doença causada pelo vírus chicungunha, confirmou uma fonte anônima do governo local neste sábado (9) à agência Anadolu.

Mais de 3.000 pessoas foram infectadas, relatou o oficial, em condição de anonimato.

O governador do distrito de Sheikh Othman, na província de Aden, sul do Iêmen, supostamente está entre os mortos.

Acredita-se que o novo surto da doença resultou dos alagamentos causados pelas fortes chuvas de 21 de abril. Oito pessoas, incluindo cinco crianças, morreram e casas foram parcial ou completamente destruídas pelas inundações em Aden.

O governo iemenita declarou a capital provisória como zona de desastre.

LEIA: Comandante houthi é morto em confronto com o exército, afirma fonte militar do Iêmen

As fortes chuvas e enchentes no Iêmen afetaram 150.000 pessoas desde meados de abril, relatou Jens Larke, porta-voz do Escritório das Nações Unidas para Coordenação de Assuntos Humanitários (OCHA), em 1° de maio.

A chicungunha é uma doença viral transmitida pela picada de mosquitos infectados. Em geral, o ciclo da doença dura de cinco a sete dias, às vezes períodos mais longos, e causa dores severas e incapacitantes nas juntas, entre outros sintomas, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS).

Categorias
IêmenNotíciaOriente Médio
Show Comments
Show Comments