Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Palestino com sintomas de coronavírus é despejado de posto de controle por israelenses

Posto de controle de Al-Jalama fechado como medida preventiva à disseminação do novo coronavírus, na Cisjordânia em 14 de março de 2020 [Oday Daibes / ApaImages]

Um trabalhador palestino que sofria de sintomas de coronavírus foi encontrado despejado pelas autoridades israelenses no posto de controle de Beit Sira, que conecta Israel e a Cisjordânia ocupada.

Imagens gravadas por Ibrahim Abu Safiya, de 25 anos, que o encontrou “jogado como lixo”, se tornaram virais nas mídias sociais. Ele mostra o trabalhador palestino que trabalha em Israel deitado perto do posto de controle,provocado indignação  com o tratamento que lhe foi dado.

Post do Departamento de Diplomacia e Política Pública da OLP (@PalestinePDP), com vídeo,  relata condenação generalizada ao tratamento israelense desumano aeste trabalhador palestino. Ele foi jogado na beira da estrada por um posto de controle militar israelense perto de Ramallah, depois que seu empregador israelense suspeitou que ele pudesse ter #coronavírus. Malek agora está recebendo os devidos cuidados.

O Vídeo viralizou.  A internauta @TanyaShami comenta que “o  trabalhador palestino foi jogado por Israel na Cisjordânia porque estava doente e havia medo de que fosse coronavírus”. Ela pergunta onde está a humanidade simples de levá-lo ao hospital palestino e não jogá-lo na rua como se fosse lixo.

O internauta Mohammad Alqadi (@ALQadiPAL) comenta: “Zero respeito pela vida e dignidade humanas: as forças de ocupação israelenses expulsam um palestino doente de #Israel por suspeitar que ele tenha # covid19 e o deixam deitado na beira de uma estrada no oeste #Ramallah por três horas!

Segundo o Middle East Eye (MEE), Abu Safiya contou que o homem foi “jogado no chão e deixado”, sob suspeita de estar infectado com coronavírus. “Como eles puderam fazer isso com alguém?” ele perguntou, acrescentando:

“Não importa se ele é palestino, israelense ou o que seja. Ele é um ser humano.”

Mais tarde, o trabalhador foi pego por profissionais da saúde palestinos que correram para o Hospital Nacional de Nablus, onde seu teste COVID-19 foi negativo, informou a Agência de Notícias Wafa.

Apesar do choque ao ver um homem doente “deixado para morrer” em um posto de controle, Abu Safiya disse que não ficou surpreso com o incidente.

“Esta é a verdadeira face da ocupação israelense”, disse ele ao MEE, acrescentando:

“Eles nos matam diariamente, então isso não é diferente para eles.”

O porta-voz do governo palestino Ibrahim Milhem hoje em seu briefing diário condenou o tratamento “racista e desumano” das autoridades e empregadores israelenses ao lidar com seus trabalhadores palestinos.

“Estamos fazendo todo o possível para que nossos trabalhadores não aceitem o trabalho em Israel nessas circunstâncias difíceis e não se joguem nessas incubadoras de pandemia para garantir sua segurança e a segurança de suas famílias e comunidade”, ele declarou.

LEIA: Israel rejeita adiar prisão do xeque Raed Salah, apesar do coronavírus

Categorias
CoronavírusIsraelNotíciaOriente MédioPalestinaSlide Grande
Show Comments
Show Comments