Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Holanda retoma envio de recursos à UNRWA com valor adicional de US$ 6 milhões

Palestinos carregam sacos de auxílio alimentar da Agência das Nações Unidas de Assistência aos Refugiados da Palestina (UNRWA), na Cidade de Gaza, em 15 de janeiro de 2018 [Ali Jadallah/Agência Anadolu]

Após suspender temporariamente uma contribuição no valor de US$ 14 milhões, o Ministério de Relações Exteriores da Holanda informou à Agência das Nações Unidas de Assistência aos Refugiados da Palestina no Oriente Próximo (UNRWA) que decidiu retomar o envio de recursos à entidade.

Holanda e Suíça suspenderam temporariamente a contribuição à UNRWA após o Escritório de Serviços de Supervisão Interna das Nações Unidas (ESSI) passar a investigar questões relacionadas à administração da agência internacional.

Um relatório interno, alegando casos de assédio sexual e corrupção entre oficiais da agência, vazou à imprensa. O documento incluía acusações contra a administração da UNRWA por “nepotismo, retaliação, discriminação e outros abusos de autoridade, para ganho pessoal, suprimir divergências legítimas, além de buscar objetivos particulares e prejudicar a credibilidade e os interesses da agência.”

A redução severa em recursos impactou diretamente a situação dos palestinos em campos de refugiados, em particular.

Em agosto de 2018, os Estados Unidos subitamente anunciaram o corte total dos recursos enviados à organização. Até então, tratava-se do maior doador em valores, com uma contribuição anual de US$ 360 milhões.

Desde a suspensão do envio de recursos por parte das autoridades americanas, diversos relatos emergiram sobre a deterioração das condições de vida nos campos de refugiados espalhados pelos países do Oriente Médio, como Líbano e Jordânia. A agência ainda luta contra uma grave crise financeira diante de uma campanha expressa contra seus serviços, e busca por recursos urgentes para manter suas operações.

Marc Lassouaoui, chefe de relacionamento com os doadores da UNRWA, no Departamento de Relações e Comunicações Externas da agência, anunciou: “Agradecemos a decisão da Holanda de liberar os recursos que auxiliarão a UNRWA em um período de ameaças extraordinárias à sua própria existência.”

“O valor que receberemos ajudará a agência a manter o fornecimento de serviços e a realização de operações humanitárias criticamente necessárias a setores como saúde primária, educação e serviços sociais, pelo restante do ano de 2019, em suas cinco áreas de atuação.”

Além da retomada do envio de recursos, a Holanda concordou em fornecer um valor adicional de US$ 6.65 milhões (€6 milhões) para 2019, elevando o valor total de doações do país europeu à UNRWA em 2019 para US$ 21 milhões (€19 milhões).

Segundo comunicado de imprensa da organização, o acordo em questão cobre o período de 2019-2021 e promete empenhar-se para contribuir anualmente com um adicional de US$ 13 milhões, a fim de auxiliar no orçamento do programa da agência.

Em novembro, a ONU votou pela renovação do mandato da UNRWA até 2023. A aprovação deu-se pelo placar de 170 a 2, no qual somente Estados Unidos e Israel votaram contra. O segundo estágio da aprovação do programa deve ocorrer nesta sexta-feira (13), na Assembleia Geral das Nações Unidas.

Expectativa de vida da UNRWA diminui dia após dia, devido aos cortes feitos pela gestão de Donald Trump – cartum [AlArabi21 News/Twitter]

Categorias
Ásia & AméricasEstados UnidosEuropa & RússiaHolandaIsraelNotíciaONUOrganizações InternacionaisOriente MédioPalestina
Show Comments
Show Comments