Portuguese / English

Middle East Near You

Reino Unido lança ataques aéreos no Iêmen, diz TV local

Uma aeronave militar decola da frota naval dos EUA e da Grã-Bretanha enquanto fontes locais iemenitas afirmam que aviões de guerra dos EUA e da Grã-Bretanha realizaram ataques aéreos em alguns pontos de Sana'a, no mar, em 12 de janeiro de 2024 [Comando Central dos EUA (Centcom)/Anadolu Agency]

As forças norte-americanas e britânicas realizaram pelo menos seis ataques aéreos no Aeroporto Internacional de Hudaydah, no Iêmen, e quatro ataques na Ilha Kamaran, perto do porto de Salif, no Mar Vermelho, informou a TV Al-Masirah na segunda-feira. Os ataques a Kamaran marcam a primeira vez que as forças da coalizão liderada pelos EUA têm como alvo a ilha desde que os ataques aéreos contra alvos Houthi começaram no início de fevereiro, disse a Reuters.

Eles se seguem ao primeiro ataque bem-sucedido de drones marítimos armados dos houthis e a outros ataques com mísseis que danificaram os navios de carga Tutor e Verbena na semana passada. Ambos os navios foram abandonados e agora estão à deriva, com o Tutor correndo o risco de afundar, disseram especialistas militares e de segurança.

Os Houthis, que controlam a capital e as áreas mais populosas do Iêmen, atacaram a navegação internacional no Mar Vermelho desde novembro em solidariedade aos palestinos em Gaza. Nesse período, eles afundaram um navio, apreenderam outra embarcação e mataram três marinheiros em ataques separados.

LEIA: Houthis publicam ‘confissões’ atribuídas a espiões dos EUA e de Israel

O governo do Iêmen, reconhecido internacionalmente, acredita que os combatentes houthis usaram no passado a Ilha Kamaran e Port Salif como local para lançar seus ataques no Mar Vermelho, além de esconderem estoques de mísseis e drones em suas minas de sal, disseram duas fontes militares do governo à Reuters.

Os 10 quilômetros de água entre o porto de Salif e a ilha de Kamaran também fazem parte da rota pela qual os navios devem transitar para chegar ao próximo porto de escala.

Autoridades militares e de segurança disseram que o navio Tutor, de bandeira liberiana, está sendo levado pela água desde que os houthis o atingiram com um drone armado e mísseis aéreos na quarta-feira no Mar Vermelho. Esse ataque danificou a sala de máquinas do navio e causou graves inundações.

A equipe do US Dwight D. Eisenhower Carrier Strike Group levou a tripulação do Tutor para um local seguro. Um marinheiro continua desaparecido.

O Comando Central dos EUA disse separadamente que os membros da tripulação do Verbena, com bandeira de Palau, emitiram um pedido de socorro neste fim de semana devido a incêndios descontrolados provocados por dois ataques de mísseis Houthi no Golfo de Aden na quinta-feira. O navio de transporte de trigo Anna-Meta, com bandeira das Ilhas Cayman, resgatou a tripulação do Verbena e está transportando-os para um local seguro, disse o Centcom.

Apesar das represálias da coalizão americano-britânica e de outras marinhas, os houthis intensificaram sua campanha contra embarcações comerciais ligadas de alguma forma a Israel em uma das rotas de navegação mais movimentadas do mundo. Seus ataques com mísseis e drones forçaram os proprietários de navios a redirecionar as embarcações para longe do vital Canal de Suez, gerando custos e atrasos em cascata no vital setor de navegação que transporta cerca de 80% do comércio internacional.

Categorias
Ásia & AméricasEstados UnidosEuropa & RússiaIêmenNotíciaOriente MédioReino Unido
Show Comments
Palestina: quatro mil anos de história
Show Comments