Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Dezoito médicos egípcios morreram de exaustão desde janeiro, alerta sindicato

1
Trabalhador de saúde na unidade de doenças infecciosas do Hospital Imbaba, no Cairo, capital do Egito, em 19 de abril de 2020 [Ahmed Hasan/AFP via Getty Images]

Dezoito médicos faleceram no Egito desde janeiro deste ano, devido ao excesso de trabalho e exaustão, reportou o sindicato da categoria no estado norte-africano.

A entidade reiterou a alarmante média de dois óbitos por mês, comparado a um total de três mortes em 2018, onze em 2019, sete em 2020 e dez no último ano, sem qualquer relação com a pandemia de coronavírus.

O Sindicato Geral de Médicos advertiu que os profissionais se sentem obrigados a trabalhar por turnos mais longos devido à falta de pessoal em alguns hospitais e baixa remuneração, que os força a buscar mais de um emprego para subsistência.

O Egito é governado pelo regime militar de Abdel Fattah el-Sisi e recebeu duras críticas por sua abordagem à crise sanitária do covid-19.

LEIA: As violações trabalhistas nas políticas de emprego das empresas estatais do Egito

Categorias
ÁfricaEgitoNotícia
Show Comments
Expulsão dos Palestinos, O conceito de 'transferência' no pensamento político sionista (1882-1948)
Show Comments