Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Irã dispara balas reais e gás lacrimogêneo contra manifestantes antigoverno

Forças de segurança iranianas dispararam tiros e gás lacrimogêneo para dispersar manifestantes antigovernamentais em várias províncias hoje

As forças de segurança iranianas dispararam tiros com balas reais e gás lacrimogêneo para dispersar manifestantes antigovernamentais em várias províncias hoje, de acordo com postagens nas mídias sociais, enquanto os protestos desencadeados pelo aumento dos preços dos alimentos continuavam a se espalhar, relatou a Reuters.

Os iranianos foram às ruas na semana passada depois que um corte nos subsídios alimentares fez com que os preços subissem em até 300 por cento para alguns alimentos básicos à base de farinha. Os protestos rapidamente se tornaram políticos, com multidões pedindo o fim da República Islâmica, ecoando a agitação em 2019, que começou com o aumento dos preços dos combustíveis.

Imagens de mídia social não verificadas pela Reuters mostraram pelo menos seis pessoas mortas e dezenas de feridos nos últimos dias. Não houve comentários oficiais sobre o número de mortos.

LEIA: Chanceler iraniano faz rara visita aos Emirados para prestar condolências

Imagens postadas nas redes sociais hoje mostraram intensos confrontos em cidades como Farsan, no centro do Irã, onde a tropa de choque disparou tiros contra manifestantes. Em Shahr-e Kord e Hafshejan, as forças de segurança usaram gás lacrimogêneo e porretes para dispersar os manifestantes.

“Não tema, não tema, estamos juntos nisso”, manifestantes na cidade de Dezful, no sul, podem ser vistos proferindo em um vídeo.

Os manifestantes também podem ser vistos queimando fotos da autoridade máxima do Irã, o líder supremo aiatolá Ali Khamenei, e gritando “Não queremos o governo dos clérigos”, enquanto pedem o retorno de Reza Pahlavi, o filho exilado do xá derrubado de Irã.

Em uma mensagem de vídeo em sua conta no Twitter, Reza Pahlavi pediu unidade entre os iranianos “por um Irã livre” e expressou condolências às famílias “dos mortos durante os distúrbios”.

O oficial sênior da polícia Qasem Rezai alertou que “manifestações ilegais são intoleráveis ​​e serão confrontadas”, segundo a agência de notícias semioficial ILNA do Irã.

Na semana passada, o governo reconheceu os protestos, mas os descreveu como pequenas reuniões. A mídia estatal iraniana noticiou na semana passada as prisões de “dezenas de desordeiros e provocadores”.

O governo cortou subsídios para produtos básicos, incluindo óleo de cozinha e laticínios, em uma medida que descreveu como “redistribuição justa” de subsídios para pessoas de baixa renda.

Quase metade da população de 85 milhões do Irã vive abaixo da linha da pobreza, segundo dados oficiais. Combinadas com o aumento da inflação, o aumento do desemprego, a queda da moeda nacional e a corrupção do Estado, as sanções dos EUA prejudicaram ainda mais a economia.

Categorias
IrãNotíciaOriente MédioVídeos & Fotojornalismo
Show Comments
Expulsão dos Palestinos, O conceito de 'transferência' no pensamento político sionista (1882-1948)
Show Comments