Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Os palestinos se recusam a desviar-se de Al-Aqsa

Fotos de fiéis palestinos encarando as forças de ocupação israelenses durante ataques à mesquita de Al-Aqsa, enquanto também pareciam confusos em meio a incursões em massa de grupos de colonos judeus ilegais na Jerusalém Oriental ocupada, se tornaram virais nas mídias sociais.

O olhar desafiador nos olhos de uma jovem palestina enquanto ela olha para um soldado israelense armado fez com que a frase “não se mexesse”, que vem de uma canção popular palestina de Kifah Zraiqi, chamada I am the son of Jerusalem, ou Ana Ibn Il- Quds, para começar a tendência.

Na música, Zraiqi diz: “Sou filho de Jerusalém, não vou me mexer, vou ficar [sentado] bem aqui”.

Os usuários de mídia social começaram a capturar as respostas poderosas na sexta-feira, quando mais de 150 palestinos ficaram feridos ao amanhecer quando as forças de ocupação israelenses invadiram os pátios da mesquita de Al-Aqsa.

Os palestinos foram feridos por balas de metal revestido de borracha, gás lacrimogêneo e espancados pelas forças israelenses, que também dispararam uma enxurrada de granadas de efeito moral.

Em um comunicado, o Departamento de Fundos Islâmicos em Jerusalém disse que um dos guardas da mesquita foi atingido no olho por uma bala de metal revestida de borracha.

Testemunhas oculares disseram à Agência Anadolu que as forças israelenses perseguiram os fiéis e os espancaram nos pátios da mesquita.

Milhares de fiéis estavam na mesquita onde estavam realizando a oração da manhã.

Outra imagem poderosa que foi compartilhada milhares de vezes é a de um homem palestino calmamente deitado de lado observando um grupo de soldados da ocupação israelense totalmente armados à sua frente.

Enquanto isso, as crianças também se posicionaram corajosamente contra a violência infligida pelos soldados e colonos de Israel sentando-se nas proximidades e recitando o Alcorão.

Khair Eddin Aljabri, produtor sênior do Arabic Post, escreveu no Twitter: “Outro trovão com um coração valente. Uma criança de Jerusalém desafia os colonos e se senta no caminho de seu ataque à mesquita de Al-Aqsa esta manhã”.

As tensões estão em alta nos territórios palestinos ocupados desde o início de abril, em meio a repetidas campanhas de prisão israelenses na Cisjordânia ocupada.

Os fiéis muçulmanos no Santuário Nobre, homens, mulheres e crianças, foram novamente atacados brutalmente pelas forças de ocupação esta manhã.

As forças de ocupação cercaram os jovens dentro da Mesquita de Al-Aqsa e dispararam balas de metal revestidas de borracha e bombas de gás lacrimogêneo contra eles. Um homem idoso foi ferido por uma bala de metal revestida de borracha. Jornalistas foram mantidos fora da mesquita.

Incursões diárias de colonos no complexo da Mesquita de Al-Aqsa para celebrar o feriado da Páscoa judaica de uma semana inflamaram ainda mais a situação.

A Mesquita de Al-Aqsa é o terceiro local mais sagrado do mundo para os muçulmanos. Os judeus chamam a área de Monte do Templo, alegando que era o local de dois templos judaicos nos tempos antigos.

Israel ocupou Jerusalém Oriental, onde Al-Aqsa está localizada, durante a guerra árabe-israelense de 1967. Anexou a cidade inteira em 1980, em um movimento nunca reconhecido pela comunidade internacional.

LEIA: A crescente geografia da resistência da Palestina: Por que Israel não pode derrotá-la?

Categorias
IsraelNotíciaOriente MédioPalestinaTendências do Twitter
Show Comments
Expulsão dos Palestinos, O conceito de 'transferência' no pensamento político sionista (1882-1948)
Show Comments