Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Raed Salah reafirma que Al-Aqsa é apenas para muçulmanos

Sheikh Raed Salah, chefe do braço norte do Movimento Islâmico em Israel, em Umm Al-Fahm, Israel, em 14 de dezembro de 2021 [Mostafa Alkharouf/Agência Anadolu]

Sheikh Raed Salah, chefe do braço norte do Movimento Islâmico em Israel, disse ontem que a Mesquita Al-Aqsa “é um direito islâmico árabe e não pode ser compartilhada ou dividida”.

Durante uma visita ao local muçulmano, Sheikh Salah se reuniu com funcionários do Islã e discutiu a agressão israelense em curso no terceiro lugar mais sagrado do Islã.

“A presença israelense na Mesquita de Al-Aqsa é uma ocupação”, disse ele, “portanto, é nula e sem legitimidade e não tem legitimidade”.

“A ocupação pode ter poder agora, mas deve reconhecer que nenhuma potência mundial pode transformar suas falsas reivindicações em direitos.”

LEIA: Planos israelenses para tomar Al-Aqsa são ‘fadados ao fracasso’, afirma Raed Salah

A entrada de judeus extremistas nos pátios da mesquita sob proteção armada, explicou ele, “é uma prova de que eles são ocupantes”. Enquanto isso, uma mulher de 80 anos do povo que é dono da Mesquita de Al-Aqsa entra na área sozinha e sem qualquer proteção.

“A ocupação, juntamente com alguns estados árabes, está tentando minar o Conselho de Doação Islâmica. Não reconhecemos nenhuma outra soberania sobre a Mesquita de Al-Aqsa além da do Conselho de Doação Islâmica”, acrescentou.

Na sexta-feira, pelo menos  152 palestinos ficaram feridos  quando as forças de ocupação israelenses invadiram a Mesquita de Al-Aqsa e dispararam contra fiéis palestinos.

Judaização de Jerusalém – Cartum [Sabaaneh/ Monitor do Oriente Médio]

Categorias
IsraelNotíciaOriente MédioPalestina
Show Comments
Expulsão dos Palestinos, O conceito de 'transferência' no pensamento político sionista (1882-1948)
Show Comments