Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Exportações de armas israelenses atingiram novo recorde de US$ 11,3 bilhões em 2021

Um veículo aéreo não tripulado Hermes 900 da Elbit Systems Ltd. está em exibição no Singapore Airshow realizado no Changi Exhibition Center em Cingapura, na quarta-feira, 17 de fevereiro de 2016 [SeongJoon Cho/Bloomberg via Getty Images]

As vendas anuais de armas israelenses aumentaram para um novo recorde em 2021, de acordo com dados do Ministério da Defesa divulgados hoje.

A Diretoria de Cooperação de Defesa Internacional (SIBAT, na sigla em inglês) do ministério israelense observou um aumento acentuado na demanda por armas fabricadas em Israel, à medida que as exportações de defesa aumentaram de US$ 8,3 bilhões em 2020 para US$ 11,3 bilhões em 2021. As exportações atingiram anteriormente um recorde de US$ 9,2 bilhões em 2017.

“As exportações de defesa de Israel alcançaran números de dois dígitos pela primeira vez, atingindo um aumento de 55 por cento em dois anos”, disse Yair Kulas, chefe da SIBAT, a repórteres ontem.

“A demanda por produtos de defesa israelenses aumentou no ano passado, manifestando-se no aumento acentuado das transações entre países, entre outras coisas”, acrescentou Kulas.

De acordo com o Times of Israel, a Europa foi o maior comprador de bens de defesa israelenses, encomendando um total de 41 por cento das exportações, seguida pela região Ásia-Pacífico com 34 por cento e América do Norte com 12 por cento.

LEIA: Os fabricantes dos drones mortais de Israel continuam a escapar da justiça britânica

Os Emirados Árabes e o Bahrein, que normalizaram as relações com Israel em 2020, responderam por sete por cento das compras de armas. Finalmente, a África e a América Latina responderam por três por cento cada.

“Olhando para o futuro, a mudança de prioridades globais e parcerias como os Acordos de Abraham criam alta demanda pelos sistemas tecnológicos de ponta de Israel”, disse Kulas em referência aos acordos de paz com os países árabes.

A fatia mais significativa das exportações, com 20 por cento, foram mísseis, foguetes e sistemas de defesa aérea, seguidos por serviços de treinamento com 15 por cento.

Os números vêm depois que Israel foi classificado como o 10º maior exportador internacional de armas nos últimos cinco anos, de acordo com o Instituto Internacional de Pesquisa para a Paz de Estocolmo.

“As relações de segurança são um componente integral das relações políticas de Israel e nossa capacidade de cooperar com outros países, e trabalhamos para fortalecer esses laços e criar novas parcerias de segurança”, disse o ministro da Defesa, Benny Gantz.

“O pico dos acordos de defesa em 2021 é antes de tudo um meio de fortalecer a segurança do Estado de Israel”, acrescentou.

LEIA: Contra o apartheid e o genocídio, exigir embargo militar a Israel

Categorias
Ásia & AméricasBahreinCanadáEmirados Árabes UnidosIsraelNotíciaOrganizações InternacionaisOriente MédioUnião Europeia
Show Comments
Expulsão dos Palestinos, O conceito de 'transferência' no pensamento político sionista (1882-1948)
Show Comments