Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Corregedor público de Israel promete investigar uso de Pegasus para espionar cidadãos

Protesto “bandeira negra” em frente ao parlamento israelense (Knesset), em Jerusalém ocupada, 30 de abril de 2020 [AHMAD GHARABLI/AFP via Getty Images]

Matanyahu Englman, corregedor público de Israel, e a Autoridade de Privacidade prometeram nesta terça-feira (18) investigar a polícia por supostamente utilizar o spyware Pegasus, desenvolvido pela empresa NSO, contra cidadãos e ativistas israelenses.

A rede de notícias The Calcalist, especializada em negócios, reportou que a polícia israelense adotou por anos o aplicativo espião para monitorar sistematicamente seus cidadãos.

A arma global do spyware Pegasus de Israel é usada para silenciar os críticos? [Sabaaneh/Monitor do Oriente Médio]

Conforme as informações, a polícia espionou indivíduos sem qualquer suspeita de conduta criminosa, ao explorar uma lacuna legal e instituir sua vigilância em absoluto segredo, sem sequer supervisão do judiciário.

Englman afirmou que o uso de tais aparatos de espionagem “incita dúvidas sobre o equilíbrio entre sua utilidade e a violação da privacidade e de outras liberdades dos cidadãos”.

Kobi Shabtai, chefe da polícia, admitiu o uso do infame aplicativo contra cidadãos israelenses, mas insistiu que tudo foi feito conforme supervisão judicial. No entanto, negou espionar ativistas contrários ao governo do ex-premiê Benjamin Netanyahu, entre outros.

“Tais ferramentas não foram utilizadas contra o movimento Bandeira Negra [anti-Netanyahu], prefeitos ou ativistas contrários à parada LGBT”, alegou Shabtai, segundo o jornal Times of Israel. Segundo ele, trata-se “um dos aparatos mais controlados e fiscalizados por todas as entidades legais, tanto dentro quanto fora da polícia”.

Contudo, a televisão local reportou fontes policiais confirmando que uma tecnologia similar, chamada Cellebrite, foi efetivamente adotada contra um ativista anti-Netanyahu.

LEIA: Legisladores dos EUA pedem sanções contra empresas de spyware, incluindo o Grupo NSO de Israel

Categorias
IsraelNotíciaOriente Médio
Show Comments
Expulsão dos Palestinos, O conceito de 'transferência' no pensamento político sionista (1882-1948)
Show Comments