Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Irã e AIEA chegam a acordo para substituir câmeras na instalação nuclear de Karaj

Ministro das Relações Exteriores do Irã, Hossein Amir-Abdollahian, em Teerã, Irã em 15 de novembro de 2021 [Fatih Aktaş/Agência Anadolu]
Ministro das Relações Exteriores do Irã, Hossein Amir-Abdollahian, em Teerã, Irã em 15 de novembro de 2021 [Fatih Aktaş/Agência Anadolu]

O ministro das Relações Exteriores do Irã disse, na quarta-feira, que um “bom acordo” foi alcançado com a agência nuclear da ONU para tratar das preocupações sobre o programa nuclear de Teerã e fortalecer a cooperação entre eles, relatou a Agência Anadolu.

Hossein Amir-Abdollahian disse a repórteres que o acordo com a Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) foi alcançado na noite de terça-feira, à margem das negociações em Viena.

Ele evitou divulgar os detalhes, mas relatos sugerem que o Irã concordou em permitir que a agência da ONU substitua as câmeras na instalação nuclear de Karaj, encerrando um impasse de meses.

A Nour News, afiliada ao principal órgão de segurança do Irã, confirmou os relatos, dizendo que a decisão de permitir que a AIEA substituísse as câmeras nas instalações do oeste de Teerã veio após a conclusão de “parte principal das investigações de segurança judiciária, bem como a sabotagem de condenação da AIEA no complexo de Tessa e aceitação de inspeção técnica de câmeras por especialistas iranianos antes da instalação”.

As câmeras foram danificadas nas instalações no ataque de sabotagem de junho, que o Irã atribui a Israel. Teerã manterá as imagens gravadas por novas câmeras e não permitirá o acesso da AIEA a elas.

A instalação nuclear em Karaj havia se tornado um ponto de conflito entre o Irã e a AIEA. Em relatório no mês passado, a agência afirmou que “não foi possível instalar câmeras de reposição na oficina e/ou verificar se a produção de tubos de rotor de centrífuga e foles foi retomada”.

Horas antes do acordo ser alcançado na terça-feira, o chefe nuclear do Irã, Mohammad Eslami, disse que as demandas da AIEA para acesso a uma oficina de produção de centrífugas em Karaj estavam além do âmbito do Tratado de Não Proliferação (TNP) e “não eram aceitáveis” para o Irã.

Eslami disse que o monitoramento na instalação estava vinculado ao acordo nuclear de 2015 e, caso os EUA se retirassem unilateralmente do acordo e restabelecessem as sanções, o Irã não teria motivos para cooperar com a AIEA.

A sétima rodada das negociações em Viena, retomada na quinta-feira, após uma pausa de uma semana, foi marcada por progressos e tensões, com os dois lados aumentando a pressão um sobre o outro.

O principal negociador do Irã, Ali Bagheri-Kani, disse que quaisquer sanções que violem o acordo nuclear de 2015 devem ser levantadas imediatamente. Em um tweet, ele disse que algumas partes ainda “persistem em seu hábito de jogar a culpa, em vez da diplomacia real”.

Suas declarações foram feitas logo depois que representantes da E3 (França, Reino Unido, Alemanha) nas negociações disseram que ainda não “foram capazes de entrar em negociações reais”.

“O tempo está se esgotando. Sem um progresso rápido, à luz do avanço rápido do Irã em seu programa nuclear, o JCPOA (o acordo nuclear de 2015) logo se tornará uma concha vazia”, ​​disseram eles em um comunicado.

Durante uma discussão no Conselho de Segurança da ONU na terça-feira, os EUA disseram que estavam preparados para suspender as sanções contra o Irã não relacionadas ao acordo de 2015, enquanto instavam Teerã a agir de “boa fé” nas negociações.

Em resposta, o enviado do Irã à ONU, Majid Takht-Ravanchi, disse que as negociações em Viena não podem ter sucesso “estabelecendo prazos artificiais, envolvendo-se em jogo de culpa, ameaças e intimidação”.

LEIA: Autoridades de Israel afirmam que os EUA lidam com assentamentos no mesmo nível do programa nuclear iraniano

Categorias
AIEAIrãNotíciaONUOrganizações InternacionaisOriente Médio
Show Comments
Expulsão dos Palestinos, O conceito de 'transferência' no pensamento político sionista (1882-1948)
Show Comments