Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

ONU pede ao Egito que liberte imediatamente ativistas da oposição

O blogueiro antirregime Alaa Abdelfattah, o advogado e defensor dos direitos humanos Mohammed El-Baqer e o jornalista Mohammed Ibrahim Radwan [@yasminoviech/Twitter]
O blogueiro antirregime Alaa Abdelfattah, o advogado e defensor dos direitos humanos Mohammed El-Baqer e o jornalista Mohammed Ibrahim Radwan [@yasminoviech/Twitter]

Especialistas em direitos das Nações Unidas pediram ontem a libertação de ativistas da oposição egípcia detidos, citando as recentes medidas antiterrorismo do governo.

Os especialistas em direitos humanos disseram que o Egito deve “deter o uso indevido de medidas antiterrorismo contra ativistas da sociedade civil, advogados, jornalistas e defensores dos direitos humanos”, exigindo a libertação dos “detidos arbitrariamente, incluindo Alaa Abdel-Fattah, Mohamed El-Baqer e Mohamed Ibrahim Radwan”.

O blogueiro antirregime Alaa Abdelfattah, o advogado e defensor dos direitos humanos Mohammed El-Baqer e o jornalista Mohammed Ibrahim Radwan foram acusados ​​de espalhar notícias falsas que provavelmente representariam uma ameaça à segurança nacional. Em 8 de novembro, a Corte de Emergência de Segurança do Estado do Egito, por contravenção, suspendeu seus procedimentos contra os três e a sentença seria esperada para 20 de dezembro.

Os especialistas da ONU disseram que eles foram “detidos arbitrariamente e que seus direitos a um julgamento justo e ao devido processo legal foram violados”, acrescentando que seus nomes deveriam ser retirados da lista de observação terrorista do Egito.

“A justificativa sistêmica de tais medidas flagrantes sob o pretexto de implementar as resoluções do Conselho de Segurança da ONU é uma grave ameaça à legitimidade da estrutura e das leis internacionais de combate ao terrorismo, à promoção e proteção dos direitos humanos e das liberdades fundamentais e à paz de longo prazo e estabilidade do Egito”, apontam os especialistas, referindo-se às políticas do regime egípcio.

Os especialistas da ONU instaram o regime egípcio a “revisar sua lei antiterrorismo e reverter a trajetória de emendas recentes que ameaçam novas violações de direitos”.

Desde que assumiu o poder após um golpe sangrento em 2013, o presidente egípcio Abdel Fattah Al-Sisi lançou uma campanha de prisão contra todas as figuras e os grupos da oposição, sob o pretexto de “preservar a segurança nacional”.

O Comitê para a Proteção de Jornalistas disse recentemente que o Egito sempre foi classificado entre os principais carcereiros de jornalistas desde que Al-Sisi se tornou presidente. A Human Rights Watch acusou o Egito de realizar o que descreveu como “assassinatos extrajudiciais” de pelo menos 14 pessoas entre 2015 e 2020.

LEIA: Morte de parlamentar egípcio na cadeia causa indignação nas redes sociais

Categorias
ÁfricaEgitoNotíciaONUOrganizações Internacionais
Show Comments
Expulsão dos Palestinos, O conceito de 'transferência' no pensamento político sionista (1882-1948)
Show Comments