Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

ONU responsabiliza Israel pelos danos do vazamento de petróleo no Líbano em 2006

Os israelenses realizam um protesto para chamar a atenção para a poluição e suas consequências ambientais, em 6 de março de 2021 em Tel Aviv, após um derramamento de petróleo devastador no Mediterrâneo. [JACK GUEZ/AFP via Getty Images]

A Assembléia Geral da ONU adotou ontem uma resolução reconhecendo que US$ 856,4 milhões em danos foram causados por uma mancha de petróleo em 2006 e pedindo que Israel assumisse a responsabilidade, compensando seu vizinho do norte e a Síria.

Cerca de 161 países votaram a favor do projeto intitulado “Mancha de petróleo nas costas libanesas”, oito – incluindo Austrália, Canadá, Israel, Ilhas Marshall, Estados Federados da Micronésia, Nauru, Palau e Estados Unidos – votaram contra, e houve sete abstenções.

De acordo com essa minuta, “a Assembléia solicitaria ao Governo de Israel que assumisse a responsabilidade de uma rápida e adequada compensação ao Líbano pelos danos. Também solicitaria a Israel que indenizasse outros países diretamente afetados pela mancha de petróleo, como a Síria, cujas costas estavam parcialmente poluídas”, disse a ONU em seu website.

Falando antes da votação, o representante da Guiné disse que a mancha afetou dois terços da costa do Líbano e afetou negativamente sua economia.

LEIA: Guerra à natureza: como o colonialismo sionista destruiu o meio ambiente na Palestina

Enquanto os Estados Unidos expressaram o desapontamento de que a ONU ” continue a assumir este desequilíbrio na resolução crítica a Israel”.

Israel disse que o esboço do texto não tinha mérito e tinha “ocupado o valioso tempo e recursos do Comitê por muito tempo”. Alegando que o Hezbollah causou a mancha de óleo, ele acrescentou que “a resolução é baseada em falsas premissas”.

O representante do Líbano disse que a aprovação da minuta “reafirma o compromisso do Comitê com as leis internacionais e ambientais, bem como com a Carta das Nações Unidas”.

A mancha foi criada quando jatos israelenses bombardearam uma estação de energia, liberando cerca de 15.000 toneladas de petróleo no mar Mediterrâneo oriental.

Em seu auge, ela se estendeu por 120 quilômetros ao longo da costa.

Categorias
IsraelLíbanoNotíciaOriente MédioSíria
Show Comments
Expulsão dos Palestinos, O conceito de 'transferência' no pensamento político sionista (1882-1948)
Show Comments