Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

F1 é “obrigada” a levantar questões de direitos humanos no Golfo, diz Lewis Hamilton

O campeão da Fórmula 1 Lewis Hamilton no Intercity Istanbul Park em 15 de novembro de 2020 [Clive Mason / Getty Images]

A Fórmula 1 é “obrigada” a aumentar a conscientização sobre os direitos humanos na Arábia Saudita e no Catar, disse o piloto britânico Lewis Hamilton. O piloto de 36 anos, que tem um recorde de sete campeonatos mundiais, pediu a outras figuras do esporte que se juntassem a ele no pedido de um maior escrutínio dos países do Golfo que foram recentemente premiados com uma corrida durante o circuito anual.

O Catar está realizando sua primeira corrida de F1 neste fim de semana e, a partir de 2023, tem um contrato de 10 anos que é considerado o mais lucrativo da história do esporte. A Arábia Saudita, por sua vez, fará sua estreia no calendário em duas semanas.

“À medida que os esportes vão para esses lugares, eles têm o dever de aumentar a conscientização sobre essas questões”, disse Hamilton. “Esses lugares precisam ser examinados. Direitos iguais é um problema sério.”

Hamilton reconheceu as medidas tomadas pelos Estados do Golfo para melhorar as condições dos direitos humanos e explicou que eles “não podem mudar da noite para o dia”.

Instando figuras esportivas a aumentar a conscientização, Hamilton disse: “Uma pessoa só pode fazer uma pequena diferença, mas juntos, coletivamente, podemos ter um impacto maior.” Exortou-os a se informarem sobre a situação, o que afirmou ter feito depois de ter visitado esses países em inúmeras ocasiões.

LEIA: Escravas sexuais, jornalistas presos, mulheres massacradas: esse é o Bahrein, a ditadura elogiada por Bolsonaro

“Mas ainda acho que podemos chamar a atenção para isso e criar esse escrutínio e essa pressão que podem, com sorte, criar mudanças”, acrescentou Hamilton, reconhecendo a limitação de sua campanha para destacar as questões de direitos humanos.

O companheiro de equipe de Hamilton na Mercedes, Valtteri Bottas, disse acreditar que “a F1 e nossa equipe estão se esforçando muito” para “aumentar a conscientização sobre as situações em todo o mundo”, enquanto o tetracampeão, Sebastian Vettel, apontou que a próxima corrida de F1 não é o primeiro grande evento esportivo a ser realizado na região e outros precisavam também de sensibilização. “É uma responsabilidade que todo grande esporte tem que enfrentar”, disse Vettel.

Os críticos afirmam que violadores de direitos humanos em série usam eventos esportivos globais para melhorar sua reputação, comumente conhecidos como “lavagem esportiva”. Em março, um relatório da Liberty descobriu que a Arábia Saudita gastou pelo menos US $ 1,5 bilhão para sediar grandes eventos esportivos. O Reino Unido também concluiu recentemente a compra do clube de futebol Newcastle United.

LEIA: Com ajuda do Brasil, Emirados obtêm recorde no jiu-jítsu

Categorias
Arábia SauditaCatarNotíciaOriente Médio
Show Comments
Expulsão dos Palestinos, O conceito de 'transferência' no pensamento político sionista (1882-1948)
Show Comments