Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Último judeu do Afeganistão quer US$10 mi para se mudar para Israel

O judeu afegão Zebulon Simentov toca uma trompa musical 'Shofar' na sinagoga, instalada em um antigo prédio em Cabul , em 5 de abril de 2021 [WAKIL KOHSAR/AFP via Getty Images].
O judeu afegão Zebulon Simentov toca uma trompa musical 'Shofar' na sinagoga, instalada em um antigo prédio em Cabul , em 5 de abril de 2021 [WAKIL KOHSAR/AFP via Getty Images].

O último judeu conhecido do Afeganistão, que fugiu do domínio do Talibã no mês passado, está solicitando US$ 10 milhões para ser enviado de avião para Israel, além de dinheiro para um casaco de inverno, informou o Jewish Chronicle.

Zebulon Simantov, 62 anos, foi levado para um país que não foi nomeado por razões de segurança por um empresário israelense-americano, Moti Kahana, mas agora está em Istambul, onde está hospedado em um hotel.

Moti disse ao Haaretz em agosto que Zabulon concordou inicialmente em ser evacuado com a condição de receber “financiamento pessoal”.

“Não estou pagando judeus para salvar suas próprias vidas. Estou aqui para ajudar. Não estou aqui para lhe pagar para salvar sua vida”, disse ele.

Zebulon “alegou ter tido algumas dívidas que ele tinha que cobrir antes de partir. Não estamos no negócio de cobrir as dívidas das pessoas. Estamos no negócio de salvar a vida das pessoas se elas precisarem ser salvas”, confirmou o rabino Mendy Chitrik, o presidente da Aliança dos Rabinos nos Estados Islâmicos, com sede em Istambul.

Moti está atualmente se oferecendo para providenciar um vôo para transportar Zebulon para Israel, o que ele originalmente aceitou, mas mudou de idéia e pediu para ser enviado de avião para os Estados Unidos.

Entretanto, Moti advertiu que ele não estava na lista de prioridades dos EUA e que o processo de visto poderia levar até dois anos.

Assim, Zebulon está exigindo US$ 10 milhões para seu voo para Israel, para compensar as perdas que sofreu ao fugir do Afeganistão, bem como algum dinheiro para um casaco de inverno.

No mês passado, ele também concedeu finalmente o divórcio para sua esposa, sediada em Israel, depois de se recusar por mais de 20 anos.

“Não sou babá”, disse Moti em resposta. “Não posso continuar financiando e apoiando Zebulon em Istambul por tempo ilimitado, e eu lhe disse que não o levarei de volta para Cabul”, acrescentou ele.

LEIA: Lutador israelense de UFC chama afegão de ‘terrorista’; perde por submissão

Categorias
AfeganistãoÁsia & AméricasEstados UnidosIsraelNotíciaOriente Médio
Show Comments
Expulsão dos Palestinos, O conceito de 'transferência' no pensamento político sionista (1882-1948)
Show Comments