Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Dubai assina acordo com Índia para projetos na Caxemira ocupada

O ministro das Ferrovias e Comércio da Índia, Piyush Goyal, gesticula ao falar durante a reunião do Fórum de Negócios Índia-Brasil em Nova Delhi, em 27 de janeiro de 2020 [Money Sharma/AFP via Getty Images]

Dubai assinou um memorando de entendimento com o governo nacionalista hindu de extrema direita de Narendra Modi para construir infraestrutura em Jammu e Caxemira ocupados pelos indianos. Detalhes do MoU foram anunciados pela Índia na segunda-feira, mas o valor do acordo não foi informado.

O governo indiano disse que o acordo vai ver Dubai, um dos sete emirados que compõem os Emirados Árabes, construindo infraestrutura que inclui parques industriais, torres de TI e polivalentes, centros de logística, uma faculdade de medicina e um hospital especializado.

O Ministro do Comércio Piyush Goyal descreveu o acordo como um reconhecimento da reivindicação de Nova Delhi ao território ocupado. “Este acordo envia um forte sinal ao mundo de que a Índia está se tornando uma potência mundial e que Jammu e Caxemira têm um papel fundamental a desempenhar”.

A declaração do governo indiano observou que diferentes entidades de Dubai demonstraram grande interesse em investir na Caxemira.

Com uma população de 68% muçulmana, o território disputado há muito busca a independência total da Índia. Quando a Índia e o Paquistão conquistaram a independência do domínio britânico em 1947, os caxemires receberam a promessa de um plebiscito no país do qual desejavam fazer parte. Em vez disso, eles encontraram seu estado dividido entre os dois rivais. Desde então, tem havido uma luta sustentada no território pela independência da Índia, que foi enfrentada por uma violenta repressão governamental.

LEIA: Cessar-fogo Índia-Paquistão foi negociado pelos Emirados, diz site

As esperanças dos caxemires foram ainda mais frustradas pelo governo BJP liderado por Modi em 2019, quando este revogou o Artigo 370, privando Jammu e Caxemira da autonomia após sete décadas. Desde então, o governo de Nova Delhi promulgou uma nova lei de residência permanente, permitindo que os cidadãos indianos obtenham propriedade e direitos de residência permanente no estado, o que muitos caxemires consideram como flagrante colonialismo. Outros 700.000 soldados também foram enviados para a Caxemira e um bloqueio foi imposto.

“O governo nacionalista hindu do primeiro-ministro da Índia, Narendra Modi, começou um ataque à terra, aos recursos naturais, à cultura e ao povo do estado, que compreende o planalto Ladakh, as terras baixas de Jammu e o vale montanhoso da Caxemira”, disse o Financial Times.

A assinatura do MoU por Dubai foi criticada, até porque o governo Modi foi acusado de alimentar o ódio antimuçulmano e permitir que hindus ultranacionalistas realizem massacres contra 200 milhões de cidadãos muçulmanos da Índia. “Os esforços para implementar o modelo israelense na Caxemira ocupada ainda estão em andamento e Dubai decidiu ficar do lado deles”, disse um crítico nas redes sociais.

Categorias
Ásia & AméricasEmirados Árabes UnidosÍndiaNotíciaOriente MédioPaquistão
Show Comments
Show Comments