Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Argélia pode tomar mais medidas contra o Marrocos, disse oficial

As bandeiras da Argélia e Marrocos, 27 de agosto de 2021 [Ryad Kramdi, Fadel Senna/AFP/Getty Images]

A Argélia pode intensificar sua disputa com o Marrocos e tomar mais medidas depois de ter cortado relações e fechado o espaço aéreo, disse hoje um diplomata argelino.

“A adoção de medidas adicionais não pode ser descartada”, disse à Reuters Amar Belani, funcionário do Ministério das Relações Exteriores responsável pelos países do Magrebe, sem dizer que outras medidas pode considerar.

As relações entre os vizinhos do norte da África têm sido ruins há décadas e suas fronteiras estão fechadas desde 1994, mas pioraram desde que uma disputa pelo território do Saara Ocidental estourou novamente no ano passado.

Marrocos considera o Saara Ocidental como seu território, mas o movimento da Frente Polisário, apoiado pela Argélia, busca a independência da região.

No ano passado, a Polisário disse que estava retomando a luta armada após décadas de trégua e os Estados Unidos reconheceram a soberania marroquina sobre o Saara Ocidental em troca de Rabat ter fortalecido os laços com o estado de ocupação de Israel.

Um alto diplomata marroquino apoiou os apelos pela autodeterminação da região de Kabylie da Argélia, algo que Argel chamou de interferência inaceitável em seus assuntos internos.

LEIA: Gasoduto Argélia-Marrocos continua incerto; Israel pode beneficiar-se

Argel também acusou Rabat de apoiar o MAK, um grupo separatista que o governo declarou ser uma organização terrorista. As autoridades culpam o grupo pelos incêndios florestais devastadores, principalmente em Kabylie, que mataram pelo menos 65 pessoas. MAK negou as acusações.

Em 24 de agosto, a Argélia cortou relações diplomáticas com Marrocos, alegando apoio ao MAK, bem como ao Saara Ocidental e outras questões.

O Marrocos respondeu que a Argélia não tem justificativa para cortar relações e que seus argumentos são “falaciosos e até absurdos”.

O rei marroquino Mohammed pediu a reabertura das fronteiras e dos laços para melhorar, e se ofereceu para ajudar a Argélia a lidar com os incêndios florestais, pedido ao qual a Argélia não respondeu.

A Argélia indicou que não renovaria um contrato de fornecimento de gás e na quarta-feira disse que estava fechando seu espaço aéreo para todos os voos marroquinos, ações que fontes marroquinas disseram que terão pouco impacto prático.

“A Argélia mostrará extrema vigilância e firmeza absoluta para a proteção de seu território nacional”, disse Belani à Reuters.

Categorias
ÁfricaArgéliaMarrocosNotícia
Show Comments
Show Comments