Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Gasoduto Argélia-Marrocos continua incerto; Israel pode beneficiar-se

Sede da Sonatrach, empresa estatal de energia da Argélia, na capital Argel, 8 de fevereiro de 2015 [FAROUK BATICHE/AFP/Getty Images]

O futuro do gasoduto argelino que passa pelo Marrocos em direção à Espanha continua um mistério, ao passo que persiste o impasse diplomático entre os vizinhos norte-africanos e aproxima-se cada vez mais um prazo limite para o seu uso.

Nesta quarta-feira (8), a estatal argelina Sonatrach confirmou um aumento na capacidade de transmissão anual via Medgaz, que provém um canal alternativo de gás natural ao mercado europeu, de oito bilhões a 10.5 bilhões de metros cúbicos.

Em junho, Taoufik Hajjar, diretor executivo da empresa, insistiu que, caso Rabat queira renovar seu contrato de fornecimento, terá de renegociá-lo. Porém, tanto Argélia quanto Marrocos podem sair em prejuízo com a revogação, no final de outubro.

O gasoduto transporta cerca de três milhões de metros cúbicos anualme nte, além de um bilhão destinado ao consumo marroquino.

LEIA: O mundo árabe busca disputas internas em vez de confrontos com seus inimigos

Se o contrato não for renovado, a Argélia perderá um de suas principais opções logísticas, mesmo se o canal direto seja realmente capaz de suprir Espanha e países vizinhos.

Enquanto isso, Israel pode beneficiar-se da rescisão do acordo, pois busca exportar seu próprio gás natural a novos mercados em potencial.

Tel Aviv pode oferecer a Rabat um substituto à cota argelina ou mesmo utilizar o gasoduto no Magreb para ocupar o mercado europeu. Por outro lado, insumos mais distantes poderão implicar em custos maiores à monarquia africana.

O presente contrato expira em 31 de outubro.

Categorias
ÁfricaArgéliaIsraelMarrocosNotíciaOriente Médio
Show Comments
Expulsão dos Palestinos, O conceito de 'transferência' no pensamento político sionista (1882-1948)
Show Comments