Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Primeira-dama da Turquia lança livro sobre suas visitas à África

A esposa do presidente turco, Emine Erdogan, em 12 de julho de 2018 [Riccardo Paregiiani/AFP via Getty Images]
A esposa do presidente turco, Emine Erdogan, em 12 de julho de 2018 [Riccardo Paregiiani/AFP via Getty Images]

A primeira-dama da Turquia apresentará, nesta segunda-feira, seu livro sobre suas viagens pela África pela primeira vez na Casa Turca em Nova Iorque, relatou a Agência Anadolu.

Emine Erdogan, que escreveu sobre suas impressões e memórias de suas viagens à África, está voando com o presidente, Recep Tayyip Erdogan, para Nova Iorque no domingo para participar da Assembleia Geral da ONU.

Ela vai apresentar seu livro “My Travels to Africa” pela primeira vez para cônjuges de líderes de países, a ONU e outros representantes internacionais, bem como representantes de ONGs e chefes de missões estrangeiras.

O livro, dedicado à mãe de Emine Erdogan, cobre as visitas da primeira-dama de 2014 a 2020 a 23 países, incluindo Argélia, Etiópia, Somália, Tanzânia, Moçambique e Senegal.

O livro estará à venda na Turquia no início de outubro e também será publicado em inglês, francês, árabe e suaíli por editoras internacionais.

Antes da “Iniciativa Africana” liderada pela Turquia em 2005, ela disse que a África era um continente distante para muitos na Turquia. Quando a África é mencionada, “colonialismo, pobreza e crianças famintas e sedentas” vêm à mente, ela disse.

África também representou um registro em que a vergonha da humanidade “trouxe recompensas ao seu dono. Esta situação mudou para sempre com a minha primeira viagem à África”, disse ela, acrescentando que acompanha o marido em visitas ao exterior tanto quanto possível.

“Presto especial atenção aos problemas das mulheres e crianças africanas e quero ser um bálsamo para as suas feridas abertas. Este meu desejo é um presente da minha nação, na qual nasci e cresci, que me criou, me moldou e bordou essa cultura em meus ossos”, acrescentou ela.

LEIA: Primeira-dama da Turquia visita bazar para arrecadar fundos para crianças palestinas

Ela expressou esperança de que o livro conduza à bondade, à cooperação e ao melhor entendimento intercultural e fortaleça as pontes de amizade entre a Turquia e a África.

Salientou ainda que, antes de cada visita, estuda as características humanas, culturais e sociais dos países que vai visitar.

A primeira-dama costuma visitar orfanatos durante suas viagens e disse que foi profundamente afetada por sua visita ao Orfanato Daryel em Djibouti, em 2015, no Chifre da África.

“É nosso dever diminuir a carga desse pesado fardo colocado sobre esses ombros minúsculos e abraçá-los”, disse ela.

“Para entender o estado da humanidade, é preciso testemunhá-lo. Para mim, viajar para o exterior significa testemunhar essas experiências e relembrar suas responsabilidades”, ela escreve no livro.

Categorias
ÁfricaEuropa & RússiaNotíciaONUOrganizações InternacionaisTurquia
Show Comments
Expulsão dos Palestinos, O conceito de 'transferência' no pensamento político sionista (1882-1948)
Show Comments