Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Aniversário do príncipe herdeiro da Arábia Saudita é marcado com uma mensagem de suas vítimas

Uma instalação destacando os abusos dos direitos humanos do príncipe herdeiro saudita Mohammed Bin Salman foi colocada em Washington para marcar o aniversário do rei [Freedom First/Twitter]
Uma instalação destacando os abusos dos direitos humanos do príncipe herdeiro saudita Mohammed Bin Salman foi colocada em Washington para marcar o aniversário do rei [Freedom First/Twitter]

Uma instalação destacando os abusos dos direitos humanos do príncipe herdeiro saudita Mohammed Bin Salman foi colocada em Washington na segunda-feira para marcar o aniversário do rei.

Apresentando uma lista dos nomes de mais de 140 prisioneiros de consciência detidos na Arábia Saudita, a escultura em grande escala incluía uma caneta-tinteiro sangrando tinta vermelha sobre uma folha com uma mensagem assinada pelo colunista saudita assassinado Jamal Khashoggi.

A mensagem dizia: “Prezado Príncipe Herdeiro, Milhares de suas vítimas lhe desejam um maldito aniversário. Atenciosamente, Jamal Khashoggi.”

Khashoggi foi morto no consulado saudita na cidade turca de Istambul em outubro de 2018. Um esquadrão saudita foi enviado para realizar o assassinato e seu corpo nunca foi encontrado.

A CIA disse que as mensagens interceptadas indicam que o príncipe saudita ordenou a morte de Khashoggi. No entanto, MBS nega as acusações, dizendo que ele foi responsável, porque ele é o líder de fato da Arábia Saudita, e não porque estava por trás do golpe.

A instalação também incluiu uma placa destacando uma citação do presidente, Joe Biden, dizendo: “A morte de Jamal não será em vão e devemos à sua memória lutar por um mundo mais justo e livre”.

Desde que assumiu o cargo, Biden não tomou nenhuma atitude contra a Arábia Saudita. Em vez disso, em março, ele disse: “Nós nunca, que eu saiba […], quando temos uma aliança com um país, fomos até o chefe de estado em exercício e punimos essa pessoa e o condenamos ao ostracismo”.

A instalação fazia parte de um projeto das organizações de direitos humanos Freedom Initiative e Amnistia Internacional com foco nos abusos dos direitos humanos na Arábia Saudita.

LEIA: Biden escreve outro cheque em branco para Sisi

Categorias
Arábia SauditaÁsia & AméricasEUAEuropa & RússiaNotíciaOriente Médio
Show Comments
Show Comments