Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Rabinos de Israel pressionam papa para elucidar comentários sobre lei judaica

Papa Francisco acena ao público na praça de San Damaso, Vaticano, 26 de maio de 2021 [Alberto Pizzoli/AFP via Getty Images]
Papa Francisco acena ao público na praça de San Damaso, Vaticano, 26 de maio de 2021 [Alberto Pizzoli/AFP via Getty Images]

Autoridades religiosas israelenses exortaram esclarecimentos do Papa Francisco sobre comentários recentes concernentes aos livros da lei judaica.

Em carta encaminhada à agência Reuters, o rabino Rasson Arousi, presidente da Comissão de Rabinato de Israel para Diálogo com a Santa Sé, alegou que os comentários do pontífice católico pareceram sugerir que a lei judaica é “obsoleta”.

Arousi escreveu sua mensagem um dia após o pontífice falar sobre o Torá, o primeiro dos cinco livros da bíblia hebraica, durante evento público em 11 de agosto.

O Torá contém centenas de mandamentos (mitzvot) a serem seguidos no dia a dia. A medida de adesão às suas diretivas difere judeus ortodoxos de judeus reformistas.

Ao refletir sobre as palavras de São Paulo sobre o livro judaico no Novo Testamento, declarou o papa: “A lei, contudo, não concede a vida … não cumpre a promessa pois não pode cumprí-la. Quem busca a vida precisa enxergar a promessa e sua consumação em Cristo”.

Arousi enviou a carta em nome do Rabinato Chefe de Israel — autoridade máxima do judaísmo no estado sionista —, endereçada ao cardeal Kurt Koch, cujo departamento compreende relações entre autoridades católicas e comunidades judaicas.

“Em sua homilia, o papa não somente retrata a fé cristã como substituta do Torá, mas assevera que esta não mais concede a vida, ao sugerir que as práticas religiosas judaicas no presente são, portanto, obsoletas”, queixou-se o rabinato israelense.

“Trata-se de efeito constitutivo dos ‘ensinamentos de desdém’ reservados ao judaísmo, que pensávamos ser absolutamente rechaçados pela Igreja”, destacou a carta.

O escritório de Koch confirmou ontem (25) estudar o documento e deliberar uma resposta.

LEIA: Ao completar um ano da explosão em Beirute, papa promete visita

Categorias
Europa & RússiaNotíciaVaticano
Show Comments
Show Comments