Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Trump ataca Biden sobre ‘humilhação’ no Afeganistão

Então presidente Donald Trump e seu adversário democrata Joe Biden, durante campanha eleitoral dos Estados Unidos, em 22 de outubro de 2020 [Brendan Smialowski, Jim Watson/AFP via Getty Images]

O ex-presidente americano Donald Trump lançou neste sábado (21) uma série de ataques contra o incumbente Joe Biden, por sua retirada das forças dos Estados Unidos do Afeganistão, ao descrevê-la como a “maior humilhação na política externa” na história do país.

As informações são da agência Reuters.

Trump — potencial candidato republicano nas eleições presidenciais de 2024 — culpou                  seu adversário democrata pela queda do território ocupado nas mãos do grupo islâmico Talibã, mesmo embora as negociações para tanto tenham avançado em sua gestão.

“A saída fracassada de Biden do Afeganistão é a demonstração mais chocante de pura incompetência de um líder nacional, quem sabe, de toda a história”, alegou Trump em um comício tumultuado com seus apoiadores no estado do Alabama.

18 milhões de afegãos, metade do país, precisam de ajuda humanitária; quase três milhões foram internamente deslocados [Sabaaneh/Monitor do Oriente Médio]

Os líderes do Talibã tentam consolidar um novo governo, após suas forças varrerem o país, à medida que soldados americanos eram retirados às pressas após duas décadas de intervenção estrangeira. O exército e o governo aliados de Washington caíram rapidamente.

De sua parte, Biden criticou o exército afegão por supostamente recusar-se a lutar, denunciou o governo agora deposto de Ashraf Ghani e reiterou herdar um péssimo acordo de retirada instituído por Trump, que incluiu a libertação em massa de combatentes do Talibã.

No comício, Trump culpou Biden por não seguir o plano esquematizado por seu governo e lamentou que funcionários e equipamentos sejam deixados para trás durante a retirada.

“Não é uma retirada, é uma rendição completa”, afirmou Trump.

O ex-presidente insistiu que o Talibã — com quem negociou — o respeitava e sugeriu que a rápida tomada do Afeganistão jamais aconteceria sob seu mandato.

“Poderíamos sair com dignidade … mas saímos com o exato oposto”, concluiu Trump.

LEIA: Seja no Afeganistão ou na Palestina, ocupações não duram para sempre

Categorias
AfeganistãoÁsia & AméricasEstados UnidosNotícia
Show Comments
Expulsão dos Palestinos, O conceito de 'transferência' no pensamento político sionista (1882-1948)
Show Comments