Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Assad alega que recursos congelados no Líbano são o maior obstáculo a investimentos

Presidente da Síria Bashar al-Assad, em 26 de maio de 2021 [Louai Beshara/AFP via Getty Images]
Presidente da Síria Bashar al-Assad, em 26 de maio de 2021 [Louai Beshara/AFP via Getty Images]

O Presidente da Síria Bashar al-Assad afirmou neste sábado (17) que o capital congelado em bancos libaneses representa o principal impedimento a novos investimentos no país.

Em seu discurso de posse para um quarto mandato como chefe de governo, Assad estimou o valor paralisado de recursos sírios entre US$40 a US$60 bilhões. “Ambos os números bastam para deprimir uma economia como a nossa”, insistiu o presidente .

O Líbano enfrenta um grave colapso econômico que ameaça a estabilidade regional. Bancos libaneses bloquearam saques e transferências ao exterior, desde 2019.

LEIA: Empresário e primo de Assad reclama de impostos ‘injustos’ do regime sírio

Muitas empresas sírias driblavam as sanções ocidentais através do sistema bancário libanês, para custear importações por terra ao país assolado pela guerra.

“As sanções nos impediram de assegurar necessidades básicas, mas criaram rotas estratégicas … Continuaremos a trabalhar para superar as dificuldades, porém, sem anunciar precocemente como fizemos ou como faremos”, declarou Assad.

Autoridades sírias culpam as sanções pela crise nacional, incluindo o aumento nos preços e a insegurança alimentar, a despeito de uma década de guerra civil causada pela violenta repressão do regime contra apelos por democracia.

Assad garantiu seu quarto mandato em maio, ao vencer 95% dos votos em um processo eleitoral marcado por fraude. O maior desafio do presidente sírio, após recapturar cerca de 70% do país, é enfrentar o colapso de sua economia.

Categorias
LíbanoNotíciaOriente MédioSíria
Show Comments
Show Comments